Closer – Capítulo 14

16 10 2010

Bom.. como o mv ta de piriri.. não to conseguindo postar lá..

então pra nao deixar vcs na mão..

to postando o capítulo da fic aki..

assim q o site voltar ao normal lá, eu posto novamente…

—–

POV KRIS

 

Cheguei no hotel com a cabeça estourando. Também, pudera, aquele idiota jogou uma bomba pra cima de mim e disse “se vira”. O que eu faço agora? Eu teria coragem de fazer isso ao Rob?

 

Oh merda, aquele homem me deixou confusa!

“Hey! Demorou hoje heim?” – Robert me recebeu com um selinho carinhoso.

 

“Último dia! Nossa, passou muito rápido. Você é que está muito folgado nesse filme.” – Disse me aconchegando em seu pescoço. Como eu adoro seu cheiro.

 

“Que tal um banho? A banheira está prontinha esperando por você.”

 

“Só por mim?”

 

“Eu posso ir junto se você fizer questão…“

 

“Eu faço muita questão!”

 

Robert sentou e se encostou na banheira, me puxando para o meio de suas pernas, com a cabeça encostada em seu peito. Eu ficaria ali para sempre… Mas a cruel realidade me chamava, infelizmente.

 

“Rob, você já decidiu o que vai fazer em relação ao filme do Tyler?”

 

“Já. Eu vou recusar.” – Ah não Rob, não responda isso.

 

“Por que, amor? Seria ótimo para você agora que a gente está acabando com as gravações aqui.”

 

“Não, não seria. Eu teria que ir para N.Y., e eu não quero te deixar  agora. Você já tem um contrato assinado e não poderia ir comigo, então… fica pra próxima.”

 

Ele falava casualmente, passando as mãos em meus braços. Meu coração começava a se apertar em meu peito.

 

“Rob, é a sua carreira… pensa bem, a gente aguenta. Você pode se arrepender depois.”

 

“Kristen, vamos mudar de assunto? Eu quero te curtir.”

 

“Mas eu preciso insistir. É a sua chance de deixar um pouco o Edward e mostrar que você não é apenas o vampiro mais lindo do mundo.” – Eu já estava desesperada para que ele me ouvisse. Eu não queria ter que fazer o que aquele chantagista estava me impondo, mas de certa forma, Nick tinha razão.

 

Respira Kristen, seja forte! Ah merda Rob, por que você tem que ser tão teimoso?

 

“Kristen, eu não vou fazer esse filme. Nem você nem o chato do Nick vão me fazer mudar de idéia. Eu já decidi.”

 

E foi naquele momento que eu tomei a minha decisão. Sacrificar o meu amor  para que Robert tivesse a sua carreira.

 

Chorei em silêncio aproveitando meus últimos momentos ao lado da pessoa que eu mais amava, e que iria me odiar em poucas horas.

 

“Rob?”

 

“Hum?”

 

“Faz amor comigo?”

 

“Sempre…” – Robert me virou e me sentou em seu colo.

 

Naquela noite foi diferente. Sem pressa, como se estivéssemos decorando o corpo do outro. Robert sussurrava no meu ouvido a toda hora que me amava e cada vez  mais eu chorava escondida em seu pescoço. Ele não percebeu porque estávamos na banheira. Ele também não percebeu… que estávamos nos despedindo…

 

Antes de adormecermos eu ainda consegui dizer que o amava e ele beijou os meus cabelos como sempre fazia, dizendo que também me amava.

 

Ah merda!

 

Na manhã seguinte, Robert estava arrumando as malas, que como sempre deixava para o último minuto, e me olhou, e com certeza estranhou o que viu.

 

“O que houve? Que carinha é essa?”

 

“Rob, senta aqui.” – Dei duas batidinhas no colchão. Ele sentou na minha frente e esperou que eu começasse a falar.

 

“Olha, eu quero que você saiba que esses dois meses foram os mais incríveis da minha vida. Você é tudo o que uma garota pode querer. Bonito, atencioso, bem humorado, sexy, carinhoso…”

 

“Hey, de que porra você está falando?”

 

“Rob, me escuta, por favor. Eu te amo, mas eu sinto que a gente se encontrou em um momento errado. Eu tenho que focar a atenção na minha carreira agora, e eu não quero ter que te dar migalhas do meu tempo. Você não merece isso. A gente não merece isso. E você também tem que se dedicar à sua carreira, então o melhor agora… para nós dois é cada um seguir sua vida, separados.” – Eu falei e encarei o rosto de Robert estarrecido na minha frente.

 

“Não venha me dizer o que é melhor para mim, porra! Eu não vou ficar melhor sem você e nada nos impede de trabalhar enquanto estamos juntos. De onde você tirou essa merda?”

 

Eu jurei pra mim mesma que não iria chorar na frente dele, mas estava difícil para cacete. Continuei tentando convencê-lo de uma coisa que nem eu acreditava. Que ficaríamos bem separados.

 

Maldito Nick!

 

Mas de certa forma ele tinha razão, e eu não queria ser a responsável pelo fim de uma carreira brilhante, que eu tenho certeza que ele terá. Mesmo que tenha de ser dessa forma. Que eu tenha que morrer por dentro, ele vai ter a carreira de sucesso que está esperando por ele.

 

“Não pense que vai ser fácil pra mim, porque não vai. Eu vou sentir muito a sua falta. Mas eu quero trabalhar agora. Não posso ter distrações.” – Falei, deixando as lágrimas seguirem seu curso.

 

“Então é isso o que eu sou pra você? Uma distração? Valeu. Se a sua intenção era quebrar a porra do meu coração, conseguiu.”

 

“Rob, não me odeie, por favor.” – Minha voz não passou de um sussurro. Respirei fundo para tentar me recompor, e voltei a falar. – “Daqui a algum tempo, você vai lembrar do que a gente viveu ,com carinho. Como uma coisa boa que aconteceu com a gente.”

 

“Errada! Se você insistir nessa merda, nem que eu tenha que virar do avesso, mas eu vou esquecer que você existe. Uma estranha, é o que você será pra mim. Eu vou te apagar da minha memória.”

 

“Rob, não precisa ser desse jeito. A gente ainda tem dois filmes pela frente, talvez três. Teremos que conviver bem, nem que seja pelo nosso trabalho.”

 

“Trabalho, trabalho!! Você não sabe dizer outra coisa? Mas não se preocupe, eu sou ator. Eu vou fazer o que tiver que ser feito. Não vou colocar em risco a sua preciosa carreira.”

 

Eu vi lágrimas nos olhos dele e quase vacilei e contei tudo o que o Nick me falou e praticamente obrigou a fazer, porém, meu celular me salvou. Era Jonh me chamando para irmos pro aeroporto.

 

“Bem, eu tenho que ir.” – Falei olhando pro chão, eu era covarde demais para encarar seus olhos. Robert não disse nada.

 

“Boa sorte.” – Falei já na porta do quarto. O lugar onde eu tinha sido mais feliz na minha vida.

 

“Vai pro inferno! Você e a sua carreira!”

 

Fechei a porta atrás de mim e deixei que o choro me dominasse, então escutei um barulho de algo quebrando contra a porta. Eu me odiava por ser a responsável pelo sofrimento da pessoa que eu mais amei na vida. Eu não acredito que eu fui capaz de fazer isso! Mas foi pelo bem dele.

—–

é eu tbm fiquei triste com o cap!

Comentem!

Anúncios

Ações

Information

4 responses

16 10 2010
Maah campelo

Ai ,que Triste! Naun pensei que ela iria fazer isso 😦

21 10 2010
karla

eu também fiquei triste com isso. nunca pensei que ela fosse capaz de fazer isso com ele.

29 04 2012
andressa

onde eu encontro o começo dessa fic, pq aqui só tem apartir do caopitulo 14

30 04 2012
andressa

ola, gostaria de saber onde encontro essa fic Closer completa, pq aqui nao tem completo, alguem poderia mandar para meu email, obrigada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: