Closer – Capítulo 15

17 10 2010

o site ainda está com probleminhas…

por isso estamos postando a fic por aqui..

espero que amanhã volte tudo ao normal

—–

 

POV ROBERT

 

Um buraco se abriu debaixo de mim! Eu queria me enfiar nele, queria correr, queria gritar, queria fazer qualquer coisa! Mas estava grudado no chão, olhando para a porta do quarto. A porta pela qual aquela que tinha um dia jurado me amar e ser minha amiga passou depois de terminar comigo.

 

Ela renegou nosso relacionamento por… Não sei pelo que! Por trabalho? Que porra se passou pela cabeça dela? Nada fazia sentido para mim, eu precisava sair dali, respirar, pensar… O cheiro dela estava em todo o quarto. Ela estava impregnada em cada parte dali e, infelizmente, do meu corpo.

 

Rodei minha cabeça encarando o quarto onde havíamos sido felizes até minutos atrás, e vi a toalha usada por ela na cadeira. As lágrimas começaram a rolar, e eu me joguei de qualquer maneira na cama.

 

Merda, nós havíamos acabado de fazer… AH PORRA! Ela estava se despedindo! Porra, porra, porra! Por isso ela ficou tão calada, ela já devia estar maquinando tudo naquele momento.

 

O que eu fui para ela até hoje, para ela me descartar assim? Ah sim, uma distração! Estou me sentindo um lixo! Me dediquei tanto à esse relacionamento, por NADA?

Ela foi falsa comigo?! Depois de tudo que nós passamos, ela simplesmente… escolhe o trabalho!? Merda!

 

Eu agora estava chorando como uma garotinha. PORRA NENHUMA! Eu estava chorando como um homem que havia acabado de ser fudido pela mulher que amava! Um homem que entregou seu coração para uma pessoa, e o teve despedaçado sem o menor arrependimento!

 

Meu peito estava apertado, doendo, e eu sentia uma vontade enorme de poder voltar no tempo, antes de conhecê-la, antes de ter meus sonhos, destruídos dessa forma. Minha vida! Porque era isso que ela era para mim, minha vida! Eu a amava tanto! Mais do que a mim mesmo! Porra, eu faria qualquer coisa que ela me pedisse, qualquer coisa por ela!

 

Mas agora eu vou honrar minha palavra. Eu vou esquecê-la! Vou ser forte, e vou juntar todas as malditas partes do meu coração de novo. Vou colocar a porra da cabeça no lugar, e vou me concentrar em mim.

 

Mas primeiro, eu vou continuar enfiado nessa porra dessa cama chorando. Essa merda está doendo para caralho!

 

 

 

POV Kristen

 

 

Eu precisava sair dali. Escutar o choro dele através da porta era demais pra agüentar. Enxuguei as lágrimas com a manga da jaqueta, catei meus óculos e desci para encontrar um John impaciente na recepção do hotel.

 

“ Vamos perder o vôo. Onde está o Rob?”

 

Aquela simples pergunta me quebrou. A realidade era outra agora. Não viajaríamos mais juntos, não faríamos mais nada juntos. Somente nossas obrigações profissionais. E me peguei pensando em como seria ter que estar ao lado dele em uma entrevista ou programa de TV, nos sets do próximo filme. Não sei de onde eu tiraria forças, mas agora eu estava indo pra casa. Queria o meu quarto, minha cama.

 

 

“ Ele vai em outro vôo.”

 

John percebeu que a minha cara não estava muito amigável e não perguntou mais nada. O vôo foi relativamente tranqüilo, consegui dormir um pouco. Tivemos que sair pelas portas laterais no aeroporto para evitar o bando de abutres que estava lá acampado. Era bem capaz de eu cair no choro bem ali no meio do saguão se algum engraçadinho daqueles gritasse comigo como eles costumam fazer. Cheguei em casa e só tinha o silêncio lá me esperando. o que de certa forma foi bom. Subi e fui direto pra minha cama, me joguei de roupa e tudo por cima da colcha. Quando acordei, já estava escuro e minha mãe estava sentada na beira da cama me olhando quieta.

 

“ Olá bela adormecida. Que horas chegou? Por que não me ligou?”

 

“ Sei lá, nem lembrei e mãe, eu tenho a chave.” Ela me olhava como se estivesse me analisando.

 

“ O que houve? Que carinha é essa?” De mãe a gente não esconde nada, saco.

 

“ Ah mãe…” Desabei no colo dela soluçando como uma criança. Algum tempo depois, já mais calma eu contei tudo a ela. Tudinho o que aconteceu, até a conversa com o Nick.

 

“ Você  não poderia ter deixado aquele homem te coagir. Ele jogou sujo, você não percebe? Ele usou o seu ponto fraco, te usou pra manipular a vida do Robert e quando ele descobrir, ele vai te odiar por isso, filha.”

 

“ Ele já me odeia mãe.” O choro voltou com força total e minha mãe ficou ali pacientemente esperando até que eu me acalmasse.

 

“ Você deveria ter falado a verdade. Ele tem o direito de decidir a vida dele, mesmo que algumas decisões não sejam sensatas, como todo mundo ele tem o direito de errar.”

 

“ Eu sei mãe, mas me assustou pra caralho a possibilidade de eu ser o motivo desse erro, não sei se eu agüentaria. Então eu fui covarde e fugi, entrei no jogo do Nick e joguei no lixo os melhores momentos da minha vida. Mas vai passar, eu vou trabalhar como uma doida e não vou mais pensar nisso.”

 

“ Nem você acredita nisso, filha. Não se esquece assim a pessoa que te mostrou o que é amar de verdade.” Minha mãe não estava ajudando.

 

“ Mas  eu vou conseguir, eu tenho que conseguir, mãe. O trabalho é o meu amor agora.”

 

“ Tudo bem, agora vai tomar um banho e desce pra ver o resto do pessoal. Vamos jantar.”

 

“ Ok.” Foi tudo o que eu consegui dizer.

 

Na manhã seguinte comecei a me transformar em Joan Jett, começando pelos cabelos. Cortei e tingi de preto e combinou bem com o meu humor. O pessoal da summit me fez milhões de propostas pra que eu não cortasse, mas eu queria no fundo mudar, como se mudando por fora fosse mais fácil tentar mudar por dentro…

 

As gravações enfim começaram e conviver com novas pessoas estava me fazendo bem. Dakota se tornou minha amiga de verdade e apesar de ser mais nova, nos demos muito bem desde Lua Nova, então nos aproximamos bastante. Eu estava conseguindo levar, chorava toda noite no meu quarto, antes de dormir, mas aquilo de certa forma me ajudava, eu dormia bem depois de tudo. Um mês passou voando e não ouvi falar dele. Também não procurei saber, mas Ashley me ligou num sábado e saímos pra tomar um café e ela me contou  que ele estava em N.Y. gravando Remember Me. Não foi em vão afinal. Ashley sempre foi muito discreta e não me perguntou nada, o que eu agradeci de qualquer forma. Ainda era muito doloroso falar o nome dele.

 

 

 

[…]

 

 

 

Já estávamos em meados de julho e  minhas gravações estavam no fim, somente algumas cenas e correções a fazer e naquela manhã, iria ter que beijar Dakota e eu estava nervosa. Era ridículo, eu sei, mas sempre é um beijo e ela era minha amiga, era estranho. Tomei meu banho e quando ia saindo do banheiro fiquei tonta de repente e tive que me sentar pra não cair. Meu estômago revirou e vomitei o que não tinha. A tontura passou depois que eu vomitei e desci pra tomar café, estava estranhamente faminta. Minha mãe estava sentada com uma xícara de café na frente lendo o jornal e quando me sentei ela me analisou.

 

“ Você está pálida. O que houve?”

 

“ Nada mãe, eu acordei meio mal e vomitei, mas já passou. Acho que ando comendo muita porcaria na rua.”

 

“ Você come mal, dorme mal e se afoga em cigarro, não é de se admirar que o seu corpo reclame uma hora.”

 

“ Mãe, sermão não combina com você, muito menos tão cedo. Não enche, ok?”

 

“ Ok, ok. Depois não reclama.”

 

“ Tchau mãe. Bom dia pra você também.” Saí sem comer nada. Minha mãe as vezes pode ser bem irritante.

 

O beijo saiu na primeira tomada e eu e Dakota agradecemos por isso, e rimos um monte também. Teríamos que voltar para uns pequenos ajustes, mas nada de mais. Passei os dias seguintes em casa agradecida por John não agendar nada. Eu só queria dormir e fazia isso o dia todo. Acho que até ganhei peso. Só comia e dormia. Sentia uns olhares estranhos vindos de Julles, mas ela nunca falou nada. Porém naquela sexta-feira foi diferente. Ela entrou no meu  quarto e me acordou dizendo que eu tinha que levantar, fazer alguma coisa de útil. Algo como ir a alguma loja com ela buscar uma roupa. Levantei resmungando com ela, não queria ir a lugar nenhum e quase cai por cima dela. O quarto literalmente rodou  e se ela não me segura, teria caído de cabeça na cômoda. Ela me sentou na cama, colocando minha cabeça entre minhas pernas, forçando entre meus joelhos. Eu melhorei no mesmo instante.

 

“ Que mágica foi essa?”

 

“ Queda de pressão. Eu conheço isso e aprendi como fazer. Eu vou te levar ao médico.”

 

“ Eu não vou em médico nenhum.  Eu não estou doente. Só estou cansada mãe.”

 

“ Esse é só mais um sintoma.”

 

“ Sintoma de que? Você é médica agora?”

 

“ Médica, não, mas já passei por isso mais de uma vez. Confia em mim, eu sei do que estou falando.” Ela tinha um sorriso estranho nos lábios.

 

“ Mãe eu já disse que eu não estou doente, me deixa em paz, por favor.”

 

“ Você não está doente, eu sei. Você está grávida.”

 

—–

 

Comentem!

 

 

Anúncios

Ações

Information

9 responses

17 10 2010
Elisandra

Ahhhhhhhh!!!!!!!!!!!!!! Pira… agora o trem complica!!!

17 10 2010
Maah campelo

Nossaaa!

17 10 2010
karlla cullen pattz

amor eu não consegui ler o captulo 13 e tou muito mais muito curiosa pq quando eu queria entrar no site não conseguia se for possivel envia pro meu e-mail por favooor amo muito vcs
email- bibia-demais@hotmail.com

17 10 2010
karlla cullen pattz

essa gravidez veio pra salvar tudooooo[eu pelo menos acho.
e que chantagem foi essa que o porra deesse nick fez pra kristen o que ele queria fazer com o rob?

17 10 2010
DRI

Gente quero saber o que vai acontecer!!!!!!!!!!!!!!!! Vcs não postam extras aki naum!?!!!!! QUERO MAISSSSS!!

17 10 2010
Júlia

quero mais pessoal!!! ta muito boa esa fic!

17 10 2010
Dani

MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS, MAIS,

18 10 2010
pri

noooooooooooooooooooooooooossa

22 10 2010
karla

eu estou em um ataque de nervo.kkkkkkkkkkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: