Capítulo 18

19 10 2010

POV ROB

 

Ele continuou falando, mas pra mim era como se fosse latim. A última palavra que eu escutei foi GRÁVIDA. Que porra é essa? Como assim grávida? Olhei em direção àquela maca e vi que Kristen estava começando a recuperar a consciência, e eu precisava sair dali.

 

“Dr., eu preciso dar um telefonema. Ela vai ficar bem até eu voltar? Estarei aqui mesmo no corredor.”

 

“Ela não ficará sozinha, fique tranqüilo. Uma enfermeira virá trazer a medicação e pedirei que ela fique até você voltar.”

 

Peguei me celular e disquei para a pessoa que poderia me tirar do buraco sem fundo que eu me encontrava.

 

“Alô.” A voz estava meio arrastada e eu nem quis saber que horas seriam em L.A.

“Jules, é o Robert…”

 

“Rob, o que aconteceu? Onde está Kristen? Por que você está me ligando a essa hora?”

 

“Ela está bem, agora. Ela desmaiou e eu a encontrei e trouxe para o hospital. Eu achei que ela estava com alguma doença grave, mas o médico de plantão me afirmou que o que ela teve foi uma queda de pressão, e  me garantiu que ela ficará bem. Mas eu te liguei porque…” – Fui interrompido porque ela sabia exatamente o que eu queria saber.

 

“Você descobriu não foi? Eu disse a ela que iria acontecer de qualquer forma. Eu sinto muito que foi assim, sem que ela tenha te contado.”

 

“Jules, de quanto tempo ela está?” – Eu fiz a pergunta, sem a certeza de que queria saber mesmo a resposta.

 

“Não é bem isso que você quer saber, eu sei. Sim, Robert, é seu. Não duvide disso.” – Não havia como duvidar. Não disso.

 

“Eu… ela…” – O que eu falava agora? Que estava feliz porque a mulher que eu amo está esperando um filho meu? Não era a porra de um filme onde eu poderia esperar pelo final feliz. A garota que estava do outro lado da porta simplesmente me chutou da vida dela, provavelmente sem saber que estava grávida, fato esse que não mudava a nossa situação.

 

“Robert, eu sei que você deve estar pirando aí sozinho com uma bomba dessas jogada de repente no seu colo, mas saiba que para ela, também não foi nada fácil descobrir que estava grávida depois de ter sido obrigada a tomar aquela decisão…”

 

“Obrigada a tomar que decisão? Do que você está falando Jules?” – Que diabos ela quis dizer com obrigada? Duvido muito que alguém pudesse obrigar Kristen a fazer algo.

 

“Quer saber? Foda-se! Você tem que saber o que realmente aconteceu. Eu me entendo com a Kristen depois. Eu não suporto mais ver a minha filha chorar baixinho toda noite. Robert, senta que o que eu vou te contar, não vai ser fácil de se ouvir.

 

Fiz o que ela me pediu e ela começou a me contar a história mais absurda que eu já ouvi.

 

“Eu não acredito que ele tenha sido capaz de uma coisa dessas. Isso é baixo, é mesquinho. Quem ele pensa que eu sou? Um fantoche? E ela, que direito a Kristen acha que tem de decidir a minha vida? O que é ou não melhor pra mim?”

 

“Robert, eu sei que é tudo muito louco, e que você deve estar perdido, sem saber o que fazer, mas eu te peço que tenha paciência com ela. Pensa no bebê, por favor.”

 

“Ok, Julles. Você me deu muito pra pensar. Eu não sei de mais nada, mas fica tranqüila, eu não vou fazer nenhuma besteira. Agora eu tenho que desligar, acho que ela já deve ter acordado.”

 

“Tudo bem, meu filho. Pede pra ela me ligar, por favor. Eu estou preocupada, ela não tem se alimentado direito.”

 

“Eu digo e… Jules… Er… Valeu, por… por falar a verdade.”

 

“Eu só fiz o que eu achei que era certo, Rob. Tchau e se cuida.”

 

“Tchau, Jules.”

 

Respirei fundo, coloquei o telefone no bolso e entrei naquele quarto para encontrar Kristen acordada, mas muito abatida. Ela estava com uma agulha espetada na mão e me olhou como se eu fosse um fantasma.

 

“O médico me disse que um amigo meu tinha me trazido pra cá, mas eu não imaginei que fosse você.” – A voz dela saiu fraca, trêmula.

 

Eu não conseguia formar uma frase, eu estava com muita raiva e não queria descontar nela, apesar de que, ela também era culpada. Peguei meu telefone e pedi ajuda.

 

“Ashley, eu estou no hospital com a Kristen, mas eu preciso sair. Você pode vir ficar com ela? Não, está tudo bem, ela desmaiou de novo e eu a trouxe para cá. Mas agora está tudo bem, só que eu realmente tenho umas coisas para resolver, então, você pode vir? Ok, obrigado, tchau.”

 

“Rob, eu…”

 

“Não. Não fala nada. Eu não quero te ouvir, não agora. Eu preciso de um tempo.” – Saí dali sem olhar pra trás. Eu estava perdido na minha própria vida e fui direto falar com David, eu estava precisando de um tempo pra pensar. E Deus me ajude que eu não encontre com o Nick, ainda.

 

—–

chega de extra, neh? kkkkkkkkk

comentem muito ein!

Anúncios

Ações

Information

7 responses

19 10 2010
bi ._.'

HUDSHDUISHDSUHDS ‘ pouquinho.. mas melhor qe nada D:

19 10 2010
juliana karine

bom demais !!!!! esperando anciosa pelo capitulo 19.

19 10 2010
Elisandra

Encontra sim, e acaba com a raça dele!!!!

Maiiiiiiis um… brincadeira, agora posso esperar ate amanha!

19 10 2010
Maah campelo

Aiiii Q perfeitaaaa! Xoneii Nestaaa Fic ♥

19 10 2010
juliana

GENTE MUITO BOA E AGORA ESQUENTOU!!! DOIDA PRA CHEGAR AMANHÃ E VER O PRÓXIMO CAPÍTULO!
VALEU PELO EXTRA!!!

19 10 2010
clabeward

haaaaaaaaa que situação/ seria otimo se o rob saisse daquele hospital e encontrasse o nick e enchesse ele de porrada (não pensem que eu sou mal, é que ele merece) ansiosa mais ainda mais e melhor que nada pq se não eu ia pirar sem saber o que o rob iria fazer com a noticia.

19 10 2010
pri

ahhhhhhhhhhhhhhhhh

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: