Thunderstorm – Epílogo

23 10 2010

Gratidão

(Jacob Black Ponto de vista)

Acordei meio atordoado pensando que tudo aquilo não passara de um sonho. Abri meus olhos para poder encontrar o rosto de Julia dormindo calmamente como de noite, depois de tudo. Mas tudo o que encontrei foi o vazio. Ela não estava lá ao meu lado. Me sentei rápido na cama imaginando que ela estaria em outro lugar do quarto, mas não estava e nem suas roupas. Coloquei minha bermuda que estava no chão e saí do quarto correndo. Talvez ela estivesse tomando café. Parei na sala e olhei para os lados, meu pai lia um livro calmamente no sofá. Como se nada estivesse acontecendo e a mulher da minha vida não estivesse aonde deveria estar.

– Pai, a Renesmee estava aqui? – perguntei desesperado.

Meu pai tirou os olhos do livro e olhou para mim.

-Não a vi. Ela dormiu aqui, não é?

-Dormiu. – respondi rápido. – Tenho que correr, ela vai voltar hoje para o Brasil. Não posso deixar.

Ouvi meu pai falar alguma coisa, mas eu já estava do lado de fora de casa e já tinha me transformado. Comecei a correr em direção à casa dos Cullen.

E então, Jacob, como foi a noite? Quil me perguntou por pensamento.

Sem conseguir evitar comecei a pensar no que tinha acontecido a noite depois que havia destransformado.

Não dê detalhes, Jake, vou ficar enjoado! Seth reclamou.

Eu apenas ri e continuei correndo.

Jacob, aonde esta indo? Sam perguntou para mim.

Vou para a casa dos Cullen, tenho que impedir que Julia vá embora! Respondi sentindo um calafrio só de me lembrar disso.

Então ela vai mesmo? Depois de tudo? Seth perguntou confuso.

Não se eu puder impedir. Grasnei e comecei a sentir o cheiro de vampiros.

Jacob… Sam me chamou. E se ela realmente for embora? O que vai fazer?

Pensei naquela pergunta por algum tempo. Minha vida sem ela antes tinha sido mais fácil do que seria agora. Afinal, antes ela não sofria por mim e eu a via feliz. Agora ela iria sofrer e eu sabia como era ter ela por perto, ainda mais depois daquela última noite.

Não faço idéia, Sam, não faço idéia. Respondi.

Um silêncio estranho correu pelo grupo.

Cheguei a casa dos Cullen. Vou destransformar. Informei o grupo.

Qualquer coisa nos chame. Quil avisou e eu bufei, aquele perigo quanto entrar na casa dos Cullen já não fazia mais sentido.

Destransformei quando já estava na frente da casa dos Cullen. Respirei fundo e toquei a campainha. Esme abriu a porta e no mesmo momento um Porshe amarelo virou a estrada aparecendo em frente a casa dos Cullen. Lá de dentro saiu uma pequena criatura e correu passando em menos de um segundo por mim. Eu e Esme ficamos nos encarando enquanto víamos Alice subir as escadas correndo com Jasper atrás dela. Edward passou por nós e parou em mim.

– Acho que vai querer vir conosco, Jacob. – ele falou sério.

Eu apenas assenti e depois senti algo gelado pegar minha mão. Era Bella, olhei em seus olhos e eles estavam muito dourados, quase amarelos. Eu sabia que depois que eu e Julia brigamos ela caçava quase todo dia para se distrair. Subimos juntos as escadas.

Fiquei me perguntando onde Julia estaria e percebi que devia estar em seu quarto dormindo. Foi nesta porta que paramos e ela estava aberta. Somente Jasper e Alice ocupavam o aposento. Alice tinha um envelope em uma das mãos e sua outra mão tampava sua boca que estava em estado de choque.

– Julia nos deixou uma carta. – Edward falou pegando o envelope nas mãos de Alice e ficando ao lado de Bella.

Senti meu estômago embrulhar. Ela já havia ido. Depois de tudo ela foi embora. Senti uma calma passar pelo meu corpo, mas ela não ficou lá por muito tempo. Tudo o que eu podia sentir era a dor de Julia ficando cada vez mais difícil de sentir. Encarei Edward enquanto ele abria o envelope e tirava um papel lá de dentro. Então ele começou a ler.

– “Provavelmente quando lerem esta carta eu já estarei longe. Mas eu não poderia ir sem dizer algumas palavras pra vocês.”

“Primeiro, eu queria agradecer, obrigada por toda a hospitalidade e apoio que me deram quando eu mais precisei. Eu nunca vou esquecer isso. E, me desculpem por ter que voltar para o Brasil sem uma boa razão, eu só percebi que isso era a coisa certa a fazer. Eu espero que possam me perdoar um dia.”

“O amor que senti por vocês não é algo que possa ser explicado em palavras, não é algo que possa ser sentido por qualquer um. Desde quando li o livro percebi que havia algo que me conectava com vocês; o fato de eu acreditar, quando todos diziam que era errado sonhar com algo tão absurdo; o fato de toda a minha vida parecer ser escrita para que no final eu me encontrasse com vocês e soubesse que existiam. E era apenas isso que eu queria saber. Não importava o modo, não importava se logo depois disso eu morresse. Nada mais importava. E era este o meu recado, Edward. Aquele que não lhe dei antes. Eu apenas queria lhe dizer que mesmo antes de lhes conhecer eu acreditei em vocês. E é tudo que peço a vocês. Que acreditem em mim. Acreditem que vou voltar e que poderemos enfim ser felizes. Por que esta história foi escrita para ter um final feliz.”

Edward desviou os olhos da carta e olhou diretamente para mim. Eu sabia que ele podia ouvir tudo o que eu pensava, mas neste momento, minha mente estava silenciosa. Eu estava entorpecido. A única coisa que podia compreender é que ela se fora. Minha razão de viver se fora. Julia se fora. Eu estava sozinho. De novo.

-Ela deixou os livros aqui. – Bella observou soltando minha mão e andando até a cama.

Lá estavam os quatro livros de Crepúsculo. Empilhados e sobre eles, havia um pequeno bilhete escrito com a caligrafia de Julia:

Eu não preciso mais disso para saber quem eu sou e o que devo sentir.

Depois, a última coisa que me lembro era quase ter acordado de meu topor por causa do tamanho De-javú; minhas roupas espalhadas pelo chão como migalhas e meu corpo – já transformado- correndo contra o vento. Eu não via para aonde estava indo. Mas aquela cena já havia acontecido, quando eu recebi o convite de casamento de Bella e Edward, eu deixara tudo para trás apenas para correr em forma de lobo e não sentir tanta dor por tê-la perdido. Mas daquela vez, a dor continuava profunda, parecendo raspar minhas veias e pressionar meu coração contra meu pulmão.

Jacob ouvi a voz de Leah me chamando e só então percebi que ela já devia estar em minha mente À algum tempo.

Deixe-me em paz, Leah. Respondi rude.

Sabe que não posso. Foi por isso que ela te deixou, Jacob. Para que fosse feliz comigo. Ela, mesmo sem ser minha amiga, mesmo eu tendo a machucado, ela ainda fez o que Emily não teve forças para fazer. Ela me deixou ser feliz, me deu uma oportunidade de ser feliz. Vou ser eternamente grata a ela. Leah falou de um modo, com uma gratidão que eu nunca a vi usar.

Ela me deixou Leah, não posso ser feliz com alguém que não seja ela.

Parei de correr assim que percebi que Leah estava – em sua forma de lobo – bem à minha frente. Ela me encarava com os olhos tristes.

Não vai conseguir viver sem ela, vai?

Não. Respondi e dei meia volta me distanciando de Leah.

Fim… por enquanto.

 

—-

Gostaram?? Comentem muito!!!

Muito obrigada todos que acompanharam a fic e comentaram!

A autora da fic tem um recadinho pra vocês tambem!

” Hello, girls! Aqui termina ‘Thunderstorm I ‘. É o primeiro site que termino a fic e é claro que digo que agradeço a vocês por ter chegado até aqui. Então tudo o que tenho à dizer são agradecimentos e é claro que vou ficar morrendo de saudades de entrar no MV para ver seus comentários. Então é isso, quem quiser falar comigo é só me procurar no meu e-mail que é julinha_tuti@hotmail.com. E espero vocês em Thunderstorm II.”
E quanto às meninas do site, não tenho nem como agradecer, nunca me senti tão acolhida quanto no MV. Muuito obrigada por tudo! Até Thunderstorm II.
beijoos

Anúncios

Ações

Information

3 responses

23 10 2010
Lia

Tem como eu me matar agora, ou eu posso viver mais um pouco? MEU SANTO ROBERT, ME DE FORÇAS. Eu quero mais, e vou sentir falta disso até o livro dois. bubu* Parabéns, a fic foi linda. Eu amei, a vou chorar.

23 10 2010
Fernanda

Geente doooo céeeu ! eo ameeeei *-* …..aaaaaah seerá qee sobrevivooo atéee o SEGUNDO ,Paarabéens é deemaais esse livroo ameeei ,ameei e ameeeei . quando vaai tee o segundo ?

24 10 2010
para sempre.

será que eu aguento até lá. ou tenho im infarte de tanta ansiedade.
meeeu rob me ajuda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: