Closer – Capítulo 29

28 10 2010

POV KRIS

 

Fomos para o set às 4:00 da manhã como combinamos com David, para que à tarde pudéssemos ir ao médico. As gravações renderam, quer dizer, mais ou menos. A cena consistia em eu, Taylor e Robert dentro de uma barraca apertada e fechada, mais o câmera.

 

Robert não estava conseguindo se concentrar e eu que estava deitada de frente pra ele comecei a fazer palhaçada enquanto ele tinha que estar muito sério, explicando para o “Jacob” como era a sensação de perder “Bella”. Demorou muito pra acertarmos. Mas saiu, de qualquer forma, quando vimos, já era hora de irmos. O nosso pequeno segredo não vazou. Somente Ashley e David sabiam e eu estava grata, pois o fato de Robert e eu chegarmos ao set de mãos dadas já foi um reboliço, imagina se soubessem da gravidez. E também tinha o fato de que ele ainda não tinha falado com o pessoal da produção.

 

[…]

 

 

Dr. Edward nos atendeu na hora marcada, o que eu agradeci, porque tinham me feito tomar um balde d´água e eu já estava vendo estrelas de vontade de fazer xixi.

 

“Boa tarde. É bom ver vocês dois aqui. Sempre é bom o pai participar das consultas. Bem, Kristen, seu peso está normal, sua pressão ainda um pouco baixa, como você tem passado?”

 

“Para falar a verdade, Dr. Eu queria mesmo era fazer xixi.”

 

“Ah, sim. Bem, vamos fazer a ultrasonografia,então. Depois conversamos. Você fez alguma em L.A., ou essa é a primeira?”

 

“Essa é a primeira.”

“Ok, preciso dizer que vocês não conseguirão ver muita coisa, mas vão poder ouvir os batimentos cardíacos perfeitamente.”

 

Robert sorriu, ele estava muito nervoso, eu senti. Fomos para os fundos da sala, onde estava o aparelho depois de  deitada naquela maca, Dr. Edward ergueu a minha blusa, baixou um pouco a minha calça e senti o gel gelado. Aquilo me arrepiou.

 

Ele nos mostrou o monitor, onde deveríamos acompanhar as imagens e começou o exame. Robert não soltou mais a minha mão. Distraída com aquele mundo em preto e branco, nem percebi que ele demorava em certos pontos da minha barriga e não tinha falado nada ainda, até que Robert se incomodou.

 

“Há algo de errado, Dr.?”

 

“Só um minuto, eu só preciso confirmar.”

 

Foi a minha vez de falar, eu já estava ficando apavorada.

 

“Por Deus, Dr.. Tem alguma coisa com o bebê?”

 

“Ok, é isso mesmo. Não, nada de errado com os BEBÊS, eles são perfeitamente saudáveis.”

 

“O senhor disse OS, no plural?” – Rob conseguiu encontrar a voz, já eu só olhava para o médico na minha frente, tentando entender o que ele tinha dito.

 

“Sim, foi exatamente o que eu disse. Parabéns, vocês serão pais de gêmeos.”

 

Eu comecei a chorar, não sei se aliviada por não haver problemas, ou por ter descoberto que eu teria dois ao invés de um. Robert estava muito branco e eu poderia jurar que ele estava apavorado.

 

“Calma Kristen, eu já presenciei essa cena algumas vezes e posso te garantir que é perfeitamente normal a sua reação. Porém, vocês devem ter em mente que o mais importante é que eles são perfeitos. É realmente uma benção que vocês receberam.”

 

“Desculpe, Dr., é que eu não sei como agir. Mãe de primeira viagem, entende? Tenho medo de não dar conta do recado.”

 

“Claro que vai ser mais difícil, mas você não estará sozinha, não é, papai?”

 

“É claro que não Kristen. Eu estou aqui e não vou a lugar nenhum. Nós vamos tirar de letra, você vai ver.” – Robert até tentou me acalmar, mas a voz dele me dizia que ele estava tão apavorado quanto eu.

 

“Bem, então vocês querem escutar os coraçõezinhos deles?”

 

“Sim. É claro que sim. Você vai ver, Rob, é incrível”.

 

E então nós ouvimos. Era uma confusão de barulhos e Dr. Edward nos explicou que era assim mesmo. Eram dois corações batendo ao mesmo tempo. Robert chorou, eu chorei e ali eu me dei conta que eu conseguiria sim. Com ele ao meu lado, eu poderia. O exame terminou e passamos para as explicações, depois de eu fazer xixi, é claro.

 

“Bem, a sua gestação estará completa no final de fevereiro, porém, quando se trata de gestação múltipla, é normal que o parto ocorra com algumas semanas de antecedência. Seu peso está normal e sua pressão ainda um pouco baixa, porém não tanto quanto estava da última vez, o que é bom, mas ainda não recomendo que você saia sozinha por muito tempo. Os enjôos, como estão?”

 

“Bem melhor, Dr., mas Robert tem sofrido, pois o cheio do cigarro dele me mata.” – Robert riu.

 

“Oh, isso é bom, na verdade. Quem sabe assim, você não pára de fumar?” – Dr. Edward falou com Robert.

 

“Eu já parei, Dr.. Fazem 48 horas.”

 

“Muito bem, então alguma dúvida?”

 

“Eles serão idênticos?” – Robert estava fazendo melhor do que eu.

 

“Esqueci deste detalhe, me desculpem. Eles são bivitelinos, o que significa que estão em placentas diferentes. Não serão idênticos.”

 

“Então quer dizer que eu posso ter um casal? Já dá pra saber o sexo?”

 

“Sim Kristen, pode perfeitamente ser um casal, mas ainda não dá para saber o sexo, mais adiante quem sabe, se eles cooperarem.”

 

“Dr., a gente deve ter algum cuidado especial? Quer dizer… sexo?”

 

“Essa pergunta é clássica dos futuros papais. Não, Robert por enquanto, a gestação da Kristen está indo muito bem. Se continuar assim, enquanto vocês estiverem confortáveis, o sexo está liberado.”

 

“Mais alguma dúvida?”

 

Eu e Robert nos olhamos e balançamos juntos a cabeça sinalizando que estávamos satisfeitos com as informações.

 

“Certo, então e Kristen, você deve fazer outra consulta em quatro semanas. Ficarei muito feliz de vê-los novamente, mas se já estiverem de volta aos E.U.A., procure o seu médico e boa sorte.

 

“Obrigada, Dr. Edward, por tudo.”

 

[…]

 

Somente quando já estávamos no carro, Robert quebrou o silêncio incômodo que se instalou entre nós.

 

“ Você está tão calada… não fica assim, lembra o que o médico falou? A gente deve ficar feliz pelo simples fato de eles serem saudáveis e a gente vai estar juntos pra enfrentar o que vier.”

 

“ Eu sei, Rob, me desculpa. Eu só estou assustada. Eu não tenho a menor noção de como é a rotina de um bebê e a gente vai ter dois. É no mínimo inesperado, você tem que concordar comigo.”

 

“ Eu concordo, mas nós iremos contratar duas babás e mais duas enfermeiras se for preciso.”

 

“ Todas com mais de 50 anos.” Ele estava conseguindo me descontrair.

 

“ Sim, Senhora Pattinson, você mesma fará as entrevistas.”

 

“ Hum, gostei disso… Senhora Pattinson.”

 

“ É o que você é desde que eu coloquei esta aliança no seu dedo.”

 

“ É, eu sei… eu me sinto assim, de verdade.”

 

“ Você acha que a gente deveria  casar de verdade, Kristen?”

 

“ Não, realmente nunca pensei que fizesse diferença.”

 

“ Nem eu. Eu me sinto seu marido, já. Só falta uma casa pra gente ser uma família, porque os filhos, já estão à caminho.”

 

Robert sorria e eu pude ver que ele já estava mais tranqüilo com a ideia dos gêmeos. Comigo, acho que iria demorar um pouco mais.

 

“Amor, vamos ligar para os nossos pais quando chegarmos no hotel. Eu tenho que compartilhar com alguém a novidade, ou vou enlouquecer.”

 

“ Vamos ligar para os seus pais, para os meus a gente deixa pa contar pessoalmente, já que em pouco tempo estaremos em L.A. mesmo. O que você acha?”

 

“ Tudo bem, como você quiser.” E me deu um selinho demorado sem desviar os olhos do trânsito.

 

[…]

 

POV Robert

 

Assim que peguei meu telefone, ele vibrou indicando que minha mãe estava me ligando. Acho que foi a primeira vez que acreditei nesse negócio de sexto sentido feminino.

 

“ Oi Mãe…”

 

“ Robert, seu filho desnaturado, você sabe há quanto tempo você não dá noticia?”

 

“ Mãe, eu sou notícia todo dia…”

 

“ Pára de brincadeira menino, me diz como vão as coisas?”

 

“ Mãe, eu vou colocar no viva voz, a Kristen está aqui e nós temos novidades pra vocês. O pai está em casa?”

 

“ Sim, seu pai está, mas me explica isso, a Kristen está ai? Isso quer dizer que vocês se acertaram?” Dava pra sentir a excitação na voz da minha mãe.

 

“ Sim, Clare, a gente se acertou.” Kristen respondeu por mim.

 

“ Oh, meu bem. Eu não disse que se você fizesse o que eu te pedi, as coisa se ajeitariam? Estou tão feliz por vocês.”

 

Como assim, ela fez o que a minha mãe pediu? Estranho. Mas ela vai me explicar mais tarde, ah se vai.

 

“ Mãe, chama o pai e coloca no viva voz, também…”

 

“ Ele já está aqui, me filho, pode falar. É sobre o casamento? Vocês vem pra Londres fazer uma festa de noivado? Eu posso…”

 

“ Mãe, me escuta. Não é sobre o casamento. Eu e Kristen não precisamos dessas coisas. Estamos bem assim. O assunto é a gravidez.”

 

“ Ai meu Deus o que aconteceu? Está tudo bem, não está?”

 

“ Fala, meu filho, sua mãe vai ter um AVC!”

 

“ Ah, oi pai e calma, mãe, está tudo ótimo.”

 

“ Bom, ficamos mais tranqüilos, então. Pode falar, estamos ouvindo, Rob.”

 

“ Nós fomos ao médico hoje e … bem…Kristen terá gêmeos.”

 

“ Meus filhos, que notícia maravilhosa! OMG, eu tenho que te ver, Kristen, te abraçar. Eu vou ser avó de gêmeos, mal posso esperar pra ver a carinha deles.”

 

“ Valeu, mãe, eu não mereço ser abraçado? Fui eu quem fez esses dois.”

 

“ Claro, meu filho, desculpe. Eu só estou nervosa. Eu quero muito te abraçar também. Quando vocês virão nos ver?”

 

“ Ainda não sei, mãe, mas a gente vai.”

 

“ Parabéns Kristen e você também, filho. Agora terá que ter o dobro de juízo nessa cabeça dura.”

 

Eu podia identificar o sorriso na voz do meu pai, mas o que ele falou, não deixou de ser verdadeiro, eu vou ser pai, não posso sair mais fazendo merda por aí.

 

“ Tudo bem, agora vou desligar, porque a futura mamãe aqui precisa comer.”

 

“ Ah sim, claro. Fiquem bem, vocês dois. Nós estamos muito felizes, mesmo. E Kristen, depois você me conta como foi que vocês… bem, você sabe.”

 

“ Combinado, Clare. Eu te ligo.”

 

“ Tchau, pai, tchau, mãe.”

 

“ Até logo meus filhos.”

 

“ Kristen, arruma uma mochila porque nós vamos passar a noite em outro lugar.”

 

“ Como assim, Rob? A gente tem que estar no set às oito. Pra onde você quer ir?”

 

“ É perto de lá. Eu só queria que a gente tivesse uma noite diferente, sei lá sair desse quarto um pouco. Você vai gostar, tenho certeza. Agora vai, que a nossa diária começa às 18:00 h e eu quero estar lá na hora do pôr do sol.”

 

“ Quando eu digo nas entrevistas que você é romântico, você faz graça… Ok, me dá dez minutos?”

 

“ Ok, dez minutos, então.”

 

POV Kristen

 

Saímos depois de doze minutos, isso mesmo, ele cronometrou o meu tempo. Robert dirigiu por uam hora mais ou menos e logo estávamos distantes do centro da cidade. Avistei uma espécie de lago enorme e Rob foi justamente em direção a ele. De repente a estrada acabou e ele estacionou o carro.

 

“ Onde nós estamos? Vamos acampar?”

Não estava gostando nada daquele lugar deserto. Eu não passaria a noite ali de jeito nenhum.

 

“ Não amor, nós vamos de balsa até a ilha. Consegue ver, logo ali? Tem uma pousada naquela ilha, é pra lá que a gente vai.”

 

“ Pousada? Deve ser lindo lá. Nós podemos ir então?”

 

“ Pressa, amor?”

 

“ Na verdade, fome.”

 

“ Ok, em 15 minutos estaremos lá. Vocês conseguem esperar?”

 

“ Claro, Rob, seu bobo…”

 

A pousada consistia em uma casa grande, toda branca e linda, onde era a recepção e o restaurante/bar. As acomodações eram cabanas individuais e bem afastadas umas das outras, proporcionando privacidade aos hóspedes. Tudo em estilo colonial o que passava uma sensação de casa de campo e aquele lago ao redor da gente completava a magia do lugar.

 

Um funcionário nos acompanhou até a nossa cabana, que era bem afastada da casa principal e aquela pequena caminhada me deixou ainda mais faminta.

 

Quando chegamos, Rob me pegou pela mão e me levou em direção á a escada no meio da sala. Eu não podia acreditar. No andar superior esta o quarto, enorme, todo decorado em tons de azul e branco, a cama parecia aquelas usadas pelas Damas de filmes antigos, com dossel e tudo, e o mais importante, era gigantesca.

 

Ouvi Robert me chamando e só então me dei conta que eu estava sozinha ali. Segui sua voz e cheguei a um terraço. Ele me esperava com duas taças nas mãos. A dele tinha champagne, a minha, suco de laranja. Ao seu lado, uma mesa pronta nos esperava e o jantar, ao lado em uma espécie de carrinho.

 

“ Nós ainda não tivemos a chance de comemorar.”

 

“ Ok, então vamos comemorar… o que exatamente? Tem acontecido tanta coisa boa ultimamente.”

 

“ Sim, você tem razão. Eu quero comemorar o nosso reencontro e a felicidade de ter você na minha vida, pra sempre, espero. Também quero comemorar os nossos bebês e o fato de eles estarem bem…”

 

“ Ok, já vi que você vai longe com isso. Eu quero apenas agradecer o teste de elenco.”

 

E com isso, ele me calou com um beijo.

 

“ Agora, minha pequena, vamos alimentar esses dois aí.”

Sorrindo pousou a mão na minha barriga, que já dava sinais de mudança. Ainda era sutil, mas eu já percebia e Robert também.

 

O Jantar foi maravilhoso e de sobremesa, fondue de chocolate branco com morangos.

 

“ Rob, eu tenho uma coisa pra você. E eu queria te pedir uma também.”

 

“ O que você quiser, pequena.”

 

Fui até o quarto e peguei o presente dele.

 

“ Me dá a sua mão.”

 

Sem pensar ele me estendeu a mão direita. Mas eu queria a outra, então ignorei a mão estendida e agarrei sua mão esquerda. Coloquei o anel na palma da sua mão. Ele apenas me olhou curioso.

 

“ Eu acho justo ser representada na sua mão, também.O que eu quero pedir, é…bem… que você a use.” (olha a frase roubada de eclipse.)

 

“ Eu não pensei que você se importasse com essas coisas, mas é claro que eu vou usar.”

 

Eu a coloquei no polegar de sua mão esquerda. E depositei um beijo na aliança.

 

“ Tem certeza que é esse o dedo?”

 

“ Servirá para despistar os fotógrafos, por isso também que ela é diferente da minha.”

 

“ Hum, menina esperta… vem aqui, vem.”

 

Robert me levou pro sofá que estava mais afastado da mesa e me puxou para o seu colo.

 

“ Olha lá o motivo de estarmos aqui antes de anoitecer.”

 

O sol estava laranja, se escondendo atrás da montanha à nossa frente. Um verdadeiro espetáculo.

 

“ Como você descobriu esse lugar? É tudo tão lindo, não parece real.”

 

“ Eu tenho os meus contatos…”

 

“ Robert, quem você trouxe aqui antes de mim?” Eu não queria nem imaginar ele com outra aqui nem naquela cama linda.

 

“ Ninguém, eu também não conhecia. Tudo bem , eu confesso, foi obra da Steph. Eu pedi a ela para encontrar um lugar calmo pra gente se desligar um pouco daquela agitação. Me único trabalho foi dirigir até aqui.”

 

“ Me lembre de agradecer à ela, quando voltarmos, então.”

 

Então eu o beijei lentamente, saboreando o doce da sobremesa ainda presente em seus lábios.

 

“ Hum, morango com chocolate, misturados com o seu gosto… perfeito.”

 

“ Você acabou de me dar uma idéia.”

 

………..

E aii o que acharam??

Gemeos *-*

o/

Anúncios

Ações

Information

4 responses

28 10 2010
Vivian

GENTE QUE LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!!!
VICIADA!!!!

28 10 2010
LUISA

Nooosaaaaaaa que homem é esse ?!!! amando a fic! cada dia melhor!

28 10 2010
ELEGRINA

COMO SEMPRE MUITO BOMMMMM………………….

28 10 2010
karla

MUITO BOM MESMO ESTOU TÃO VICIADA QUE NÃO CONSIGO FICAR UM DIA SEM LER PQ SE NÃO EU FICOU LOUCA.KKKKKKKKKKKKK

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: