Closer – Capítulo extra

7 11 2010

Pov Kristen

 

“Kristen, sente-se aqui. Eu vou receber uma pessoa hoje para falar sobre o meu filme, e eu gostaria que você estivesse presente.”

 

“Ok, se é importante para você, eu fico.”

 

Alguns minutos depois, Cameron enfiou a cabeça para dentro do escritório, e disse que tinha “uma certa pessoa” entrando. Saí de cima da mesa, e fui para uma cadeira na frente da mesa.

 

“Jules, querida, como está?”

 

Mais que porra…?! Olhei para trás, e Nikki entrava no escritório com um sorriso de orelha a orelha. Claro, afinal, ela fazia parte do filme da mãe da menina que interpretava a namorada do vampiro gosto. Sucesso na certa. Aliás, por que ela estava nesse projeto mesmo?

 

“Sente-se Nikki. Eu estou bem, obrigada. E você?”

 

Ela se sentou ao meu lado, me ignorando, ótimo, e esticou a mão para apertar a da minha mãe.

 

“Estou ótima! Não poderia estar melhor! Oh, olá Kristen! Quanto tempo!” – Claro, ela só me viu ali agora. – “Como está?”

 

“Poderia estar melhor, obrigada.”

 

“Não se sinta mal por isso, vai ficar melhor.” – Claro, assim que ela fosse embora.

 

“Sim, estou contando os minutos.”

 

Dizem que gatos sentem as pessoas, e que ficam atiçados quando estão perto de quem não gostam. Não sei se acredito nisso, mas Jella estava com os pêlos eriçados como se fosse atacar Nikki a qualquer momento.

 

Tive que levantar, e abrir a porta do escritório enxotando Jella. Não queria que Nikki avançasse no meu gato.

 

“Coitadinho, Kris, você podia ter deixado seu gatinho aqui. Eu não tenho medo dele.”

 

“Ele sabe que foi para o bem dele. Não vai se importar.”

 

Minha mãe riu, acho que entendendo sobre o que eu falava, e fez com a cabeça para eu me sentar novamente.

 

“Então meninas, vamos jogar limpo aqui hoje. Ok?!”

 

“Claro Jules!”

 

“Mãe… O que…?”

 

“Vejam, esse filme já tem publicidade sem nem estar produzido ainda. E eu não gostaria que algo desse errado. Vocês estão estendendo onde eu quero chegar?”

 

“Oh Jules, eu não faria nada para atrapalhar o projeto. Nossa, eu estou tão excitada com ele e…”

 

Meu celular vibrou em cima da mesa, e minha mãe o pegou, e me entregou.

 

“É só uma mensagem. Vá em frente.”

 

Agradeci e fui ler enquanto Nikki ainda tagarelava.

 

“Abra a porta que eu vou entrar correndo.”

 

Ótimo momento para um ato de loucura, Rob.

 

“Mãe, eu preciso…”

 

“Imagino. Pede para esperar, e volte.”

 

“Ok!”

 

Corri para fora do escritório, e puxei Cameron do sofá para que ele fosse até o jardim sondar a área.

 

“Porra Kristen, com a Nikki aqui dentro, você realmente acha que o perigo está lá fora?”

 

“Todo cuidado é pouco. Vá!”

 

Cameron arrancou Taylor do outro sofá, e os dois saíram.

 

Fiquei andando nervosa de um lado para o outro, e ouvi Nikki sair do escritório para usar o banheiro. A bexiga dela não podia ser mais pontual. Apoiei atrás do sofá tentando disfarçar, mas era visível que eu estava inquieta. Ela apenas passou, e foi fazer sua hora no banheiro.

 

A voz de Cameron veio alta da cozinha, e eu corri para fazê-lo calar a boca antes que Nikki prendesse o suposto xixi e saísse correndo do banheiro. Perdi o equilíbrio no meio da minha correria, e saí derrapando pela cozinha, me apoiando na mesa, e quase derrubando as cadeiras.

 

“Fuck Kristen, ele chegou faz nem um minuto, e você já está assim?” – Eu ri para o meu irmão, e arrumei as cadeiras. Aliás…

 

“Cadê…?”

 

“Estão lá fora esperando. A gente não faz o trabalho pela metade, maninha.” – Passei a mão pela testa, e respirei fundo rindo. – “Volta para o escritório, e a gente deixa o pacote no seu quarto.”

 

“Ok Tom Cruise, vá fazer sua missão impossível com o 007, que eu vou enfrentar a Bruxa Malvada no QG do Poderoso Chefão.”

 

“Meu Deus, a presença dele já está te afetando! Radiação? Como funciona isso?” – Rolei os olhos, e a porta do banheiro abriu.

 

Meu irmão olhou interrogativo sobre quem saiu de lá. – “Bruxa Malvada.” – Respondi. Camerom riu, e eu fui para o escritório, sentando na mesma cadeira de antes.

 

“Sem mais interrupções… Vamos continuar. Vocês eram amigas. E agora não são mais. Motivo bobo, e idiota. Não, Robert não é bobo e idiota. Pelo contrário, é um homem de ouro. Mas, Nikki, querer o namorado dos outros é errado.”

 

“Jules, eu achei que estivéssemos aqui para falar sobre o filme.”

 

“E estamos querida. Você está fora.” – Não sabia se ficava assustada, ou se ria da decisão que minha mãe tomou.

 

“O que? Mas Jules…?”

 

“Você só estava no filme, porque eu e Kristen quisemos. Pelos outros, nós faríamos testes, e encontraríamos uma atriz a partir daí.”

 

“E agora eu estou fora porque vocês querem também?”

 

“Kristen acabou de ouvir a mesma coisa que você. Ela não tem participação nenhuma nisso. Quer dizer, ela tem sim, porque foi ela que foi sacaneada pela amiga. Você não teve vergonha, Nikki, de levar Michael para provocar? De querer o Robert?”

 

“Eu só estava lutando pelo que eu quero.”

 

Sim, porque Robert realmente ia me deixar por ela. Eu mereço!

 

“A Kristen não precisa de mim para defendê-la. Mas eu tenho que me meter nesse caso. Não posso deixar que você continue no filme quando faz esse tipo de coisa com a minha filha. Quando tenta estragar a vida dela. Me desculpe Nikki, mas nós lhe demos a oportunidade imaginando que fosse uma pessoa, e você se mostrou outra. Traiu nossa confiança.”

 

“Claro que ia sobrar para mim!”

 

Minha mãe manteve a voz calma durante todo o tempo, mas se exaltou um pouco depois do que Nikki falou.

 

“Você pediu por isso! Por Deus, por Alá, Oprah Winfrey, George Bush, por quem quer que seja, vocês já estão bem grandinhos para ficar implicando um com o outro. Espero que isso pare, ok?!”

 

“Bom, por mim…” – Eu falei pela primeira vez.

 

“Que escolha eu tenho? Sei lá do que mais vão me cortar.”

 

“De nada. Isso não é uma perseguição, Nikki. Queremos que você tenha sucesso, faça sua carreira, e me deixe em paz. Ou melhor, nos deixe em paz. Apenas isso.”

 

“Que seja. Depois desse sacode, vou prestar atenção em mim. Não posso confiar nos outros.”

 

“Você pode, mas tem que se deixar confiar também.”

 

“Eu confiava em você, Kristen. Michael confiava. E o que você fez? Vocês nos traiu com o Robert.”

 

Do que aquela louca falava agora?

 

“Eu não trai ninguém!”

 

“Como não? Estava com o Michael, e ficava se jogando para cima do Robert. Aposto que ficavam se agarrando quando diziam que estavam lendo o roteiro.”

 

“Você está louca!”

 

“Louca é você, que tinha um namorado, e ficava de vadiagem com outro.”

 

O que ela disse? Meu sangue ferveu, e eu fechei a mão nos braços da cadeira.

 

“O que…?”

 

“Vadiagem sim. Dando para um, com o namorado apaixonado sendo enganado.”

 

Ah não! Eu virei na cadeira, e lancei um tapa certeiro na cara dela. O rosto dela voou para o lado, e minha mãe tapava a boca. Não sei se de susto, ou para reprimir um sorriso.

 

“Você nunca, nunca mais olha na minha cara! Tá ouvindo? Nem na do Robert! Eu não quero mais saber de colegas de elenco, nem nada do tipo com você. Vadia é a senhora porra do teu cú! Que é para onde você deve ir!”

 

“Kristen…” – Minha mãe tentou falar, mas eu não deixei.

 

“Quem devia estar falando com você era o Michael, Kristen!”

 

“Então por que caralho você está falando?”

 

“Porque não aguento você de vadiagem, você deixou o meu amigo magoado.”

 

Como ela se atreve a continuar com isso, na minha casa? Novamente eu olhei para a cara dela, e espalmei minha mão naquela fuça. Dessa vez eu olhei bem para o que estava fazendo, e vi o rosto dela virar em câmera lenta para a esquerda, com os longos cabelos voando, e uma careta de dor na cara.

 

Eu queria ter dado o tapa do outro lado, para ela sair com os dois lados do rosto vermelhos. Mas já bastava a marca bem vermelha da minha mão apenas em um.

 

“Sai desse escritório. Sai da minha casa. SAI DA MINHA VIDA! Eu já aguentei muito de você Nicole. Não vou aguentar mais. Não sou obrigada!”

 

Acho que dessa vez ela entendeu o recado. Eu não estava para brincadeiras.

 

Que ela sonhasse com o som daquele tapa, e que o rosto dela ficasse ardendo.

 

“Ok Kristen, a gente pode parar com isso já. Entendi. Posso ir?”

 

Abri a boca para falar mais, mas minha mãe tomou a frente.

 

“Pode, eu entro em contato com o seu agente depois para resolver o resto.”

 

Nikki pegou a bolsa do chão, e saiu pisando firme pela casa. Ouvimos a porta da frente dar uma leve batida, e os meninos rirem na sala.

 

Os meninos. Lembrei de Robert escondido no meu quarto, e sorri igual uma boba.

 

“Tá fazendo o que aqui?”

 

Olhei para a minha mãe sem entender.

 

“Ah porra Kristen, corre para cima logo. Vai agarrar seu namorado.”

 

Levantei da cadeira no mesmo instante, e abracei minha mãe. Saí do escritório correndo, e passei por meus irmão na sala, que resmungaram alguma coisa para mim, e eu não ouvi.

 

Cheguei no corredor, e estava vermelha e ofegante. Respirei fundo para me recompor, e abri a porta do quarto. Rapidamente todo o estresse do andar de baixo foi esquecido, encontrei um enorme sorriso no rosto do homem que mexia na minha gaveta de calcinhas.

 

“Nossa, Rob, que clichê!”

 

Ele riu, e largou a calcinha que segurava, fechando a gaveta em seguida, e andando para me encontrar no meio do caminho.

 

“Minha mãe tirou a Nikki do filme.”

 

“Já disse que amo a sua mãe?”

 

“Não sei. Mas ainda não disse que me ama.”

 

“E eu preciso dizer?” – Robert encaixou seu rosto no meu pescoço, e arraastou seus lábios pela pele ali.

 

“Não, mas eu quero ouvir.”

 

Robert me puxou para o seu colo, e eu travei minhas pernas nas costas dele. Ele se jogou na cama comigo por baixo, e começou a beijar meu rosto, dizendo que me amava.

 

Em certo momento, ele parou o que fazia, e ficou pairando sobre mim.

 

“Quer ouvir uma coisa legal?”

 

“O que?”

 

“Eu meti a mão na cara da Nikki. Duas vezes.” – Robert gargalhou, e começou a ficar vermelho e sem ar.

 

“Eu sabia que o que era dela, estava guardado.”

 

“Acho que ela vai nos deixar agora.”

 

“Vamos fazer uma festa de despedida?” – Robert começou a beijar o meu pescoço, e eu entendi muito bem o tipo de festa que ele queria fazer.

 

“Levanta e liga o rádio para mim.”

 

“O rádio vai chamar a atenção dos seus irmãos para a nossa festa. E eles não estão convidados.”

 

“Errado. O rádio vai manter os meus irmãos longe da nossa festa.”

 

“Seremos barulhentos hoje, Dona Kristen?”

 

“Depende de você.”

 

“Então, acho que eu vou até ali no aparelho…”

 

—–

Acabou 😦 Gostaram da fic? Obrigada a todos que comentaram e qm nao comentou tbm! haha

em breve começa uma nova fic ‘Dama de Companhia’

Anúncios

Ações

Information

7 responses

7 11 2010
Maah campelo

Aiin.Amei essa fic do começo até o final .Muito Boa!

7 11 2010
pri

lindo ,amei cada cap ,parabéns e muitos bjssssss

7 11 2010
Kesia Tawanne

ameiiiiiiiiiiiiiiiii!!!loca pelo proximo fic!!
q pena q acabou!!

8 11 2010
karlla cullen pattz

aaaaaaaaah bem feito a kris devia ter acabado com aquela cachorra.
espero a nova fic.

9 11 2010
karla

eu ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

12 11 2010
VLC Media Player

i want it

22 11 2010
Maiara

Ameiiiiiiiii

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: