Inexplicavelmente Amor – Capítulo 05

8 11 2010

– Estou feliz de ter te encontrado novamente, Bella.

– James? – eu perguntei me virando com rapidez, e perdendo um pouco o equilíbrio, mas sendo pega por ele.

– Bella, calma minha linda. – ele disse, dando-me um beijo demorado em minha bochecha.

– Mas como você está? – perguntei me desvinculando daqueles braços fortes que me segurava.

– Melhor agora que estou com você. – ele me lançou um sorriso sensual. – Posso te acompanhar em uma bebida?

– Oh, claro James.

– O que é isso? – ele questionou olhando para o meu copo.

– Bacardini lemon com uma rodela de limão. – eu lhe disse rindo.

– Humm, será que você me acompanha em uma tequila? – virei meu coquetel e o encarei.

– Claro, adoro tequila! – eu disse ampliando meu sorriso.

– Ótimo, vamos então pegar uma garrafa, por que também adoro! – ele completou quando observou a minha reação, que foi de surpresa por ele estar oferecendo para comprar uma garrafa de tequila.

Ele chamou o barman e pediu uma garrafa de tequila ouro, depois de uns 5 minutos veio a garrafa, o sal e os pedaços de limão. Ele serviu-nos as doses, me deu uma, fizemos um brinde e viramos a bebida em um gole, a senti descer queimando pela minha garganta, a sensação do álcool invadindo meu organismo foi maravilhosa, ele me ofereceu outra dose, e eu aceitei prontamente. Conforme a tequila se espalhava pelo meu organismo, eu e James começamos a rir e falar besteiras, inclusive da minha vida de desastres.

– Bella, não acredito que você é tão desastrada como diz. – ele disse depois do meu comentário sobre a minha vida de tombos e fraturas.

– Mas que desastrada, olha isso, – e mostrei a pequena cicatriz que tinha no ombro. – e isso – estava mostrando onde havia quebrado meu braço em dois lugares.

– Como você fez isso? – ele disse apontando para a cicatriz no meu ombro.

– Eu tropecei em uma carteira na escola e a quina da mesa bateu com tudo aqui. – disse rindo.

– E você James, nunca quebrou nada?

– Claro que . – ele disse se esquivando. E bebendo uma nova dose de tequila que foi repetido por mim.

– O que você já quebrou? – eu estava curiosa para conhecê-lo melhor, ele parecia muito misterioso, característica que não havia percebido antes.

– Em uma briga, acabei quebrando o braço esquerdo e a clavícula. – percebi seus olhos saindo de foco, com uma lembrança.

– Briga? Você? – então segui seu olhar que recaia sobre Emmett Cullen, que havia voltado ao bar, mas ignorei, por que com certeza deve ser impressão minha, ele definitivamente não estava olhando para o Cullen mais velho.

– Coisa de garoto. – ele disse desviando o olhar que estava pedido e me fitando curiosamente. Ficamos conversando e rindo de várias situações cômicas que eu já tinha passado. Ele me contou um pouco sobre sua vida, e as situações que já se meteu, como ele tinha sido pego por seus pais transando na cama deles com duas irlandesas quando estava no segundo ano do colegial. Fiquei sabendo de Tanya Denalli, namorada do Edward era prima dele, mas quando o questionei de onde ele conhecia os Cullen, ele apenas disse que de muito tempo atrás. Depois de umas 2 horas que eu estava conversando intimamente com ele, Jacob veio me chamar para ir embora.

– Bells, vamos? – ele perguntou lançando a James um olhar reprovador.

– Já? Tá cedo Jake. – eu disse com a voz mole.

– Você já esta bêbada, Bella!

– Claro que não! – eu disse bufando. – Pode ir depois eu volto de taxi?

– Tem certeza? – ele perguntou em duvida.

– Eu levo ela em casa. – James disse, me sobressaltando.

– Humm, bem então ta. – ele respondeu meio desconfiado. – Bells me liga assim que você chegar em seu dormitório.

– E atrapalhar você e Leah? Sem chance!

– Você não vai atrapalhar, me prometa Bella – ele disse serio. – se não eu vou te levar a força, agora!

– Tá bom comandante. – eu disse brava. – Eu te ligo!

– Excelente. E por favor maneira na tequila. – ele me repreendeu novamente, me fazendo bufar e revirar os olhos. Quando ele se afastou, James se reaproximou de mim e perguntou.

– Quem é ele, seu irmão?

– Quase, ele é meu melhor amigo de toda a vida. – eu disse rindo.

– Humm, então mais uma dose? – ele perguntou animado.

– Opa!

– Bella, essa é a última! – ele disse meio triste. – Nós conseguimos acabar com a garrafa toda. – ele disse entre risos.

– Sério? Então tudo bem, que venha a última dose. – eu disse fazendo bico. Ele gargalhou gostoso, e nos serviu a dose, fazendo eu vira-la novamente. Depois de virar essa ultima dose, e eu estar visivelmente tonta me bateu um arrependimento, por que como é que eu bebo todas, se amanhã tenho que acordar cedo para ir à aula? Foi então que olhei no relógio e fiquei assustada porque já se passava da 1 da manhã.

– James, eu tenho que ir, tenho aula daqui a pouco. – ele imitou o que eu tinha feito antes e olhou no relógio e ficou assustado com a hora.

– Nossa Bella, eu também tenho! Então vamos?

– Vamos. – ele como um perfeito cavaleiro de ajudou a descer do banco onde estava sentada e quando fiquei em pé com os meus próprios pés vi tudo rodando, claro que eu tinha bebido demais, me xinguei por beber sem moderação, mas caminhei pesadamente ao lado de James para o estacionamento, ele ao contrário de mim estava muito bem. Quando chegamos a um jaguar preto lindíssimo, me senti novamente mal, por estar só andando com pessoas com muito dinheiro, mas me adentrei no veiculo.

O caminho ate o meu dormitório foi tranqüilo, James me fazia algumas perguntas para que eu não caísse no sono, eu as respondia forçada. Quando paramos em frente ao prédio D, fui para depositar um beijo na bochecha de James, quando esse desviou o rosto, e me fazendo beijá-lo na boca. Eu que estava com os sentidos meio lentos, retribui o beijo, dando passagem a sua língua que dançava na minha boca, contornava os meus dentes, mordia levemente meus lábios, era um beijo gostoso, mas não tanto como o de Edward, mas continuei a beijá-lo, ja que Edward podia ter uma namorada, eu posso beijar quem quiser! Aproveitando que eu estava deixando, ele começou a descer suas mãos em direção aos meus seios, sem interromper o beijo, as tirei dali e ele as colocou na minha cintura, depois de um tempo ele tentou desabotoar o botão da minha calça e quando ele conseguiu parei de imediato o beijo e me afastei.

– James, não! – eu lhe disse respirando com dificuldade.

– Por que não Bella? – ele perguntou entre os meus lábios.

– Eu não posso! – eu disse me afastando e empurrando ele. – Obrigada pela carona, e boa noite. – sai correndo do carro, sem olhar para trás e deixando ele totalmente sem reação. Subi as escadas do dormitório cambaleante e entrei tremendo dentro do meu dormitório. Por que raios ele tinha que me beijar agora? Ainda tentar se aproveitar de uma pobre menina bêbada. Bufei com esses pensamentos e ascendi à luz do quarto.

– Maravilha. – Alice tinha ido dormir novamente na casa do Jasper. Despi as minhas roupas e entrei debaixo do chuveiro para tirar todo aquele vestígio de bebida, obviamente sem sucesso, sai do banheiro me enrolei na toalha e escovei meus dentes, penteei meus cabelos, vesti minha calcinha e coloquei a regatinha, que tinha vestido na noite anterior, e encaminhei ate a minha cama, tirei a colcha e entrei debaixo daqueles lençóis, uma fragrância doce, inebriante me invadiu, era o cheiro de Edward, aquele cheiro e o efeito da bebida fizeram minha cabeça rodar, fechei com força meus olhos e cai na inconsciência.

Sentia meu corpo cansado, exausto na verdade, mas mesmo assim não pude deixar de sonhar com um Edward que me pegava a força, me jogava na cama, rasgava minha roupas e me penetrava loucamente, de repente ele se transformava em James e me penetrava mais violentamente, e depois virava Tanya, que me acariciava, beijava meu corpo, seus dedos me invadiam, e virava Edward novamente, e depois James, e depois Tanya e voltava para Edward. Mesmo com a minha inconsciência dominando, ao fundo eu ouvia alguém me chamando, me sacudindo, fui abrindo vagarosamente meus olhos e vi que duas esmeraldas, levemente vermelhas me encaravam, pisquei duas vezes, com certeza aquilo era um sonho então não me matava nada beijar aquele sonho, apertá-lo, fazer a minha mão correr por aquele corpo, e foi o que eu fiz, mas era estranho aquele sonho era muito real, aquelas mãos me apertando loucamente, aquela respiração me envolvendo, e aquela corrente elétrica era estranha, foi quando me toquei que aquilo não era sonho, era Edward ali, ao vivo e a cores. Parei subitamente o beijo e me afastei para encará-lo.

– Uau, se toda vez que você acordar me beijar assim, vou passá-la a acordar todos os dias. – Edward disse sem fôlego.

– Ops, desculpa Edward. – corei violentamente, e quando olhei para baixo vi que estava só de calcinha sem a regatinha, puxei o lençol ate o meu pescoço, arrancado uma gargalhada de Edward. Por que raios eu tinha que sempre tirar uma peça de roupa no meu sono? Dartmouth e esses homens maravilhosos estão me fazendo mal!

– Agora não adianta esconder, já vi o que eu tanto queria. – ele disse rindo e me fazendo corar ainda mais se era possível. Me enrolei no lençol peguei uma roupa qualquer no armário e segui para o banheiro, morrendo de vergonha. Tomei um novo banho, por que afinal não sabia o que estava acontecendo comigo, por que é que eu só ando pensando em sexo? E toda noite seria assim? Sonhar que estava fazendo sexo selvagem com Edward… Tanya e James? Tentei tirar esses pensamentos da minha cabeça, afinal não podia ficar pensando nisso e depois ter que encarar Edward. Escovei meus dentes e penteei meus cabelos, coloquei a roupa que tinha escolhido, uma calça bege, e uma camisetinha marrom, então sai do banheiro e encontrei um Edward deitado na minha cama, com um sutiã meu nas mãos, consegui corar ainda mais, mas ele me fitava rindo.

– Bella, se você não se incomodar irei ficar com essa sua peça intima, quando você me devolver aquele meu presentinho, eu te devolvo isso. – ele falou, girando meu sutiã nas mãos, fui ate o criado mudo e peguei o preservativo dele e o entreguei, ele soltou uma gargalhada e me encarou. – Você quer realmente fazer sexo, agora? – ele me perguntou dando aquele sorriso torto que me derretia.

– Não, você a pediu de volta, estou devolvendo. – eu disse sem entender nada. Ele arqueou uma sobrancelha, com aquele olhar de sem vergonha dele, então entendi o que ele quis dizer com devolver, corei que nem um pimentão, o fazendo soltar outra gargalhada. Merda, perdi o meu sutiã favorito. Bufei para ele.

– Viu meu anjo, eu vou te devolver, basta você me fazer usar o presentinho com você.

– Seu… seu… – mas o que ele era, eu não consegui pronunciar, por que novamente ele me deu um daqueles seus beijos de tirar o fôlego, me fazendo perder o chão e os sentidos.

– Então vamos? – ele perguntou se afastando. – O Dr. Carter não tolera atrasos. – nossa depois de todas essas emoções eu tinha me esquecido da aula.

– Vamos. – disse tentando transparecer toda a minha raiva, mas novamente só consegui fazê-lo gargalhar. Entramos naquele Volvo reluzente, então ele me perguntou.

– Tequila na cabeça?

– É. – eu disse massageando a minha têmpora. – Onde você foi ontem?

– A Boston, eu te disse Bella. – ele e respondeu visivelmente nervoso.

– Hum…

– Quando é que eu vou poder beber com você para te ver tão inconsciente assim que nem conseguia acordar?

Nunca. – eu respondi prontamente.

– Qual é, você me deve pelo menos uma dose de absinto.

– Absinto? – eu perguntei assustada.

– Claro, a fada verde é fenomenal, – ele disse rindo. – e eu tenho uma certa curiosidade para ver como você reage a ela.

Dei um sorriso amarelo para ele. Enquanto estacionava o carro e depois caminhávamos em silencio ate a sala de aula, que já tinha um Dr. Carter, se esgoelando explicando as diferenças ósseas do corpo feminino e do masculino. No intervalo para o almoço, Edward insistiu para que o acompanhasse a um restaurante mexicano para almoçar. Saboreamos a culinária mexicana, em silencio, só trocando olhares, olhares cheios de significação, intensos, mas não conseguia desviá-lo, por mais incomodada que estivesse. Ate que decidi quebrar aquela troca de olhares e fui ao banheiro. Quando voltei para sentar no meu lugar, ele me puxou para o seu colo e me deu um beijo, outro daqueles beijos de perder os sentidos, mas decidi interrompe-lo.

– Edward, você tem namorada! – disse exasperada. – E esses beijos não estão certos!

– Bella, Bella, Bella… – ele repetiu meu nome suavemente. – Tanya não se importa com isso, e nós não somos namorados oficiais, somos er… sem uma palavra melhor… amigos que se beijam e as vezes dormem juntos, é só isso que eu e ela somos.

– Mas não é certo Edward!

– Meu anjo, você tem que parar com esse seu pensamento provinciano. Você esta na faculdade, então se divirta!

– Divertir-se? Com você? – eu perguntei irônica.

– Eu posso ajudar, se você desejar, e olha que a única coisa que vou pedir em troca são seus beijos e algumas coisinhas a mais. – dei um sorriso tímido para ele e me levantei serenamente e fui para o meu lugar. – Você vai me matar Bella, e como vai.

– Duvido Edward, logo você vai enjoar de mim. – eu disse dando-lhe os ombros.

– Eu? Enjoar de você? NUNCA! – ele exclamou enquanto pagava a conta, e negando a aceitar a minha parte. Voltamos para a aula, e acompanhamos ela em silencio, Edward segurava a minha mão e fazia carinhos circulares nela. Depois ele me deixou no dormitório me convidando para sair mais tarde, mas neguei o convite, pois essa noite precisava dormir. Ele ficou decepcionado, mas aceitou a minha resposta. Subi ao dormitório, encontrando ele vazio, Alice ainda não tinha voltado. Tirei a roupa que estava, tomei um banho, coloquei o meu pijama improvisado e cai na minha cama novamente.

Tive uma noite sem sonhos, com um sono profundo e acordei as 7 da manha. Alice resmungou alguma coisa enquanto arrumava a minha cama, meu estomago roncou, anunciando que estava com fome. Tomei um banho rápido e vesti uma roupa qualquer, e caminhei para a cafeteria dos dormitórios. Tomei um copo de café, com croissant de presunto e queijo, e depois extrapolei comendo um donut de chocolate, levantei e sai caminhando de lá, rumo ao centro de anatomia, estava e sentindo revigorada por causa da excelente noite de sono, e a boa alimentação da manhã. Quando estava próxima ao prédio, Edward apareceu me assustando, fomos para a aula juntos, e a semana continuou nessa rotina ele me pegava no dormitório, assistíamos a aula, depois almoçávamos juntos, trocávamos alguns beijos, ele me deixava no dormitório e a noite eu ia comer alguma coisa com Alice, mas na sexta feira essa me fez uma pergunta que me sobressaltou.

– Bella, por acaso você vem trocando beijos com meu irmão por ai? – ela perguntou rindo.

Eu? – disse corando mais.

– Vai Bella, não adianta mentir eu, Jasper, Rose e Emmett, vimos vocês dois se agarrando no carro dele ontem, e então ta gostando? – ela lançou aquele sorriso torto idêntico ao do seu irmão.

– É bom Alice, mas acho que o que estou fazendo não está certo, – disse com raiva. – ele tem namorada!

Tanya? – eu balancei a cabeça afirmando, fazendo ela soltar um gargalhada. – ela é só uma diversão para ele, Bella, sabe para extrapolar, relaxar, essas coisas. Agora você – ela arqueou uma sobrancelha. – nunca o vi correndo atrás de alguém tanto assim. – Revirei os olhos para ela.

Voltamos ao dormitório, e ela me fez tomar um banho, por que depois ela iria me maquiar, já que iríamos a Boston numa rave. Coloquei a roupa que ela havia separado para mim, uma calça jeans justíssima, uma bota preta baixa, e um top tomara que caia roxo, coloquei e logo ela começou a me maquiar. Ela terminou a minha maquiagem e começou a se maquiar, 10 minutos depois ela vestiu um vestido preto meio brilhante, uma meia toda colorida e uma bota preta altíssima, olhei impressionada para ela, afinal é uma façanha quem consegue ficar em pé em cima daquilo, e ainda consiga dançar. Peguei a mala que havia feito, com uma troca de roupa e um pijama, já que iria passar a noite na residência dos Cullens, idéia que não me agradava muito, mas não tinha como discutir com Alice, ela era terrível!

Caminhamos para o estacionamento, mas me sobressaltei quando vi Rosalie lindíssima, em uma calça preta justíssima, uma bota preta tão alta como a de Alice, e uma frente única vermelha, e Jasper e Emmett estavam lindos também como nunca os havia visto, eles vestiam calças jeans e camisetas pretas com detalhes coloridos para Jasper, e frases sobre sexo para Emmett, e tênis.

– Cadê o Edward? – Alice perguntou nervosa.

Aqui Alice! . – Ao ouvir aquela voz me virei lentamente para observá-lo, ele estava lindo como sempre, com uma calça jeans escura, uma camiseta branca com detalhes em verde, que fazia seus olhos ressaltarem e tênis, ele sorria para nós, e quando me observou me deu uma encarada de cima a baixo. – Bella, você esta linda! – corei com esse elogio, arrancando risadas de todos ali.

– Então crianças, vamos? – Emmett, perguntou desviando a atenção de todos de mim.

– É verdade Emmett, por que se não vamos perder aquele DJ da Nova Zelândia.

– Nossa, Jazz bem isso não quero perder o Ashton Meyer. – Alice disse, beijando-o na bochecha.

Seguimos para o gigantesco Jeep de Emmett, que assumiu a posição do motorista rapidamente, ao seu lado foi Rosalie e no banco de trás eu, Edward, Jasper e Alice, enquanto esses últimos se beijavam quase se engolindo, Edward me abraçava e começava a depositar beijos no meu pescoço, me arrepiei toda ao sentir aquele hálito quente atrás da minha orelha, seus lábios roçaram no meu e pude sentir aquele cheiro de hortelã me dopando. Quando ele me beijou atraiu a atenção de Emmett.

– Bella, você quer que eu mate esse tarado? – ele disse entre risos.

– Ursinho, eu acho melhor não, olha a cara de felicidade dela. – Rose completou enquanto eu corava loucamente.

– Depois ela me diz que não tem nada com ele. – Alice disse meio brava.

– Nada temos nós Allie. – Jasper completou a piadinha.

– Vocês estão é com inveja. – Edward disse ampliando aquele sorriso, me fazendo ficar vermelha que nem pimentão, e todos rirem. Claro que fui motivo de piada o caminho todo ate a tal rave, quando chegamos ao local Edward me ajudou a descer do carro, me prensando e dando um daqueles beijos de me fazer perder o ar, já que me beijava ferozmente sua língua invadindo a minha boca, dançando num ritmo desconhecido junto com a minha, o que resultou, é claro, comigo desmaiando. Senti os seus braços me segurando, mas não conseguia recuperar a minha consciência, depois de alguns minutos de inconsciência, conseguia ouvir vozes ao redor, pelo jeito estava recuperando os meus sentidos.

– Ed, desse jeito você vai ter que parar de beijar a Bella. – uma voz forte de homem, dizia com leve tom de divertimento, com certeza aquele era Emmett.

– Como é que você consegue isso, hein Edward? – Jasper com certeza com sua voz melodiosa.

– Vocês vão ficar, aí, só dando parabéns a Edward, ou vão nos ajudar? – Rosalie e sua voz de sino repreenderam os meninos.

– Gente ela está acordando! – Alice que estava mais próxima a mim, chamou a todos.

– O que… aconteceu? – consegui soltar.

– Você, er… desmaiou quando o Ed te beijou. – Alice disse escondendo um riso, mas todos os outros soltaram gargalhadas. Corei freneticamente novamente, e me levantei do banco, Edward veio me ajudar. Todos olharam significamente para nós, mas ao perceber que eu estava olhando, disfarçaram se dispersando.

– Você está bem Bella?

– Estou sim, – eu disse lançando a ele um sorriso. – só devo ter esquecido de respirar.

– Desse jeito não vou poder mais beijá-la! – ele disse me dando aquele seu sorriso torto.

– Não se preocupe Edward, isso não vai mais acontecer. – dei mais um sorriso a ele o incentivando a continuar me beijando.

Edward me deu outro beijo esse mais cauteloso, segurou na minha mão e me levou ate uma área onde as pessoas estavam dançando freneticamente, os outros vieram logo atrás de nós e também começaram a dançar no ritmo da música. Porem como eu não sei dançar muito bem fiquei só mexendo meus braços, fazendo Edward rir de mim, e depois me abraçando.

– Bella, você tem que mexer o corpo todo. – ele disse mordendo o lóbulo da minha orelha.

– Eu não sei dançar. – eu lhe disse timidamente.

– Há, você ta brincando, não é? – ele perguntou irônico, balancei a cabeça negativamente, fazendo ele me lançar o seu sorriso torto novamente. – Vem comigo então. – ele saiu me puxando, e o acompanhei. Dirigimos-nos ate o bar onde ele comprou duas águas, depois ele retirou de seu bolso dois comprimidos rosa claro, e me deu uma garrafa d’água e depois depositou uma das pastilhas na minha mão.

– Vai Bella, toma! Isso irá te relaxar.

 

—–

comentem!!

Anúncios

Ações

Information

4 responses

8 11 2010
bellshair

que lindo…….to amando♥ adoro absinto…

8 11 2010
Maah campelo

Uhuu to adorando!!

8 11 2010
Bella

KKKK Bella de porre! Bella desmaiando com beijo de Edward…adorando.

11 11 2010
karla

tó amando cada dia maissssssssssssssss

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: