Inexplicavelmente Amor – Capítulo 07

10 11 2010

Ele estendeu a mão para mim e eu a segurei prontamente, e fui caminhando com ele para fora do quarto para curtir um dia de sol na humilde residência dos Cullen.

Quando comecei a sair do quarto de Edward, esse me empurrou contra a parede e me deu um beijo ardente, me fazendo arfar e não conseguir respirar.

– Bella, por favor, não comenta nada com Alice sobre o esctasy, ok? – ele me pediu com urgência.

– Por quê? – perguntei curiosamente.

Promete? – ele me suplicou.

– Tudo bem, prometo. – eu lhe disse temerosa.

– Ótimo. – ele me disse dando aquele sorriso torto.

– Mas por que Edward? – perguntei. – Por que Alice não pode saber?

– Minha irmã não é tão tolerável, como parece, é só isso!

– Da minha boca não vai sair nada. – eu lhe disse, lançando um sorriso tímido.

– Eu tenho uma idéia melhor para essa boca. – ele disse rindo e me beijando ardentemente. Aquele beijo transparecia todas as emoções possíveis e imagináveis. Fazendo o meu corpo agir impulsivamente com as sensações que despertava era inexplicável, queria que ele me levasse de volta para o quarto e fizesse as loucuras mais insanas comigo, mas tive que reprimir essa idéia quando ele separou de mim relutantemente, seguimos caminhando para o segundo andar da casa.

No segundo andar, ele me disse que ficava o quarto de Emmett, Alice, Carlisle e Esme, e dois quartos para hospedes que normalmente eram ocupados por Rosalie e Jasper, não pude deixar de perguntar onde eu dormiria. Mas ele me disse que há um terceiro quarto de hospede no terceiro andar ao lado do quarto dele, ambiente esse que não havia visto, ainda no segundo andar ficava um banheiro social e o escritório de seu pai.

Continuamos a descer as escadas que levavam ao primeiro andar e pude notar que na parede próxima a ela havia uma serie de quadros lindos, que mostravam imagens coloniais e modernas. Alcançamos o primeiro andar e notei uma linda mesa de jantar para 8 pessoas a frente ao hall em que eu estava, sua cor era de madeira tabaco sem brilho, suas cadeiras eram forradas de um tecido que me lembrava veludo na cor bege, era esplendoroso. Ao lado direito do hall havia duas portas que davam acesso a uma sala de música e a sala de TV segundo Edward. A esquerda havia outra porta que levava a sala de estar e ao hall de entrada, ele continuava a me explicar onde ficavam os ambientes. No final da escada que eu havia descido estava à cozinha.

Ao entrar na cozinha meu queixo caiu, aquele ambiente era o sonho para qualquer dona de casa. Era gigantesca e espaçosa, com eletrodomésticos modernos e novos, em um canto havia uma pia e logo abaixo uma lava louças também moderna seguida por um armário na cor de madeira mel, na parede do lado esquerdo ficava a geladeira duplex, microondas, forno elétrico e outros eletrodomésticos e mais armários, na parede do lado direito havia uma porta de correr que dava para o jardim, ao centro da cozinha tinha o fogão embutido, e ao lado uma pequena mesa posta de café da manhã, sem duvida era tipicamente uma cozinha estilo americana.

– Bella, acho que você deve comer alguma coisa, antes de entrar na piscina. – ele me disse amavelmente.

– Humm, – eu lhe disse dando um sorriso. – não sei, não estou com fome.

– Toma pelo menos um copo de suco de laranja.

– Um copo de suco então. – ele me serviu um copo de suco, e eu o bebi, resolvi comer também uma torrada com mel, depois da insistência dele, afinal não conseguia fazer algo que ele não me pedisse. Depois desse meu rápido desejum, na companhia da pessoa mais maravilhosa do mundo, seguimos para o jardim rumo à piscina.

O jardim da casa dos Cullens era extremamente bem cuidado, havia todas as espécies de flores e cores, seus perfumes se misturavam e formavam uma fragrância única, ao centro havia uma fonte seguida por uma pequena lagoa, parecia um daqueles jardins japoneses. Edward notou que eu estava admirando de boca aberta o jardim.

– Gosta? – ele perguntou me abraçando.

– Muito, é lindo. – eu lhe disse maravilhada.

– Minha mãe cuida desse jardim, como se fosse o seu bebê. – ele disse rindo, porem seu tom de voz demonstrava um pouco de ciúmes.

Ciúmes da mamãe? – eu perguntei rindo. Ele evitou me responder, só bufando, resultando que não consegui segurar uma gargalhada, e ele me lançou um olhar mortífero.

Afastávamos calmamente da área onde se localizava o “jardim japonês”, chegamos à área de lazer onde uma choupana não muito grande, mas também não muito pequena, que possuía uma churrasqueira, um balcão com banquetas ornamentadas, um freezer branco disposto elegantemente ali, e espalhadas ao redor mesas e cadeiras de madeira envelhecida igualmente ornamentada como as baquetas o que dava ao ambiente um ar requintado e simples ao mesmo tempo. A piscina ficava logo ao lado da choupana ela era grande no formato retangular, mas a simplicidade passava longe dela, no canto direito havia um pequeno bar submerso, deixando-a esplendorosa, do lado esquerdo mais ao longe tinha uma pequena cascata, que dava um ar de cachoeira para ela, na extremidade mais próxima a mim, tinha uma escada de 4 degraus que estavam submersos pela água cristalina, a direita tomando sol estavam Rosalie e Alice, a primeira usava um biquíni modelo tomara que caia, e a parte de baixo um típico fio dental na cor vermelha, já a segunda usava um parecido com o meu, mas como era o tamanho dela tampava muito melhor (pelo menos na parte de trás), a cor era de um verde esmeralda do mesmo tom de seus olhos. Já Emmett e Jasper se encontravam dentro da piscina sentados no bar submerso conversando e rindo.

– Bella! – Alice gritou e acenou para mim. – Vem aqui com gente.

– E ai?! Bella, bela adormecida! – Emmett gritou de seu lugar arrancando risadas de todos.

Emmett. – eu disse com aspereza fazendo uma anotação mental, procurar um apelido terrível para Emmett.

– O ignore, é melhor assim… pelo menos tem horas. – Edward sussurrou no meu ouvido, me fazendo arrepiar. Dei um sorriso tímido em sua direção.

– Ed, pode deixar que eu cuido dela agora. – Alice disse a Edward, me puxando. – Vai lá com os meninos.

– Ok, Mestre! (n/a: referencia aos sete anões da Branca de Neve).

– Não. Me. Chame. Assim. – ela respondeu entre os dentes, arrancando risadas de todos. Continuei a caminhar na companhia de Alice, enquanto Edward mergulhava na piscina e se juntava com os meninos. Rosalie estonteante em seu biquíni vermelho sentou na sua espreguiçadeira e tomou um gole de seu coquetel, aguardando a nossa aproximação. Alice voltou a sentar na sua me pedindo para acompanhá-la, mal havia sentado as perguntas começaram.

– Então Bella o que achou de dormir na casa dos Cullens? – Rosalie perguntou sarcasticamente.

– Especificamente no quarto do meu irmão. – Alice a acompanhou no mesmo tom.

– Bom. – eu lhes respondi corando violentamente. Rosalie arqueou uma de suas sobrancelhas perfeitas.

– Você dormiu?! – ela perguntou ironicamente, o que me fez corar violentamente.

– Bella, larga de ser tímida eu te vi enrolada seminua nos lençóis da cama do meu irmão. – Alice estava rindo.

Alice! – eu exclamei corando mais, se fosse possível.

– To mentindo? – ela retrucou inocentemente arqueando uma sobrancelha.

– Bem… – eu comecei.

– Bella, larga de enrolação e conta tudo para nós! – Rosalie exclamou impaciente.

– Juro que vou tentar não ficar traumatizada. – Alice concordou cinicamente.

– Claro, porque o que eu fiz você com certeza nunca fez! – eu lhe respondi meio seca, arrancando risadas das duas.

– Então você fez alguma coisa? – Rosalie questionou outra vez.

– Talvez… – eu disse meio na duvida.

– Isabella Swan, você vai contar ou vai ficar nesse chove não molha? – Alice questionou novamente, mais impaciente.

– Foi bom? – Rosalie perguntou novamente.

– A melhor… – eu disse rindo timidamente. – de todas que eu já tive.

– Sério? – Rosalie perguntou surpresa. – Melhor de todas? – ela encarou Alice. – Seu irmão caçula é tudo isso?

– Bem… – Alice começou.

– Meninas, calma… – eu disse rindo, por causa da reação delas. – não tenho muito que comparar, essa foi a primeira vez. – eu respondi timidamente.

– Você esta me dizendo que você perdeu sua virgindade, aqui em casa e com meu irmão? – Alice perguntou em choque.

– Sim? – eu estava começando a ficar com medo delas, porque suas caras de espanto eram assustadoras.

– Bella, você contou isso para Edward? – Rosalie perguntou arqueando uma sobrancelha.

– Sim. – eu realmente estava começando a me sentir medo, por que estava começando a entender onde elas queriam chegar, e com certeza a minha cara se espanto era igual a delas.

– Vocês estão namorando? – Alice perguntou meio desconfiada, arqueando uma sobrancelha.

– Não, mas… – eu comecei.

– Bella! Você não deveria ter feito isso! – Rosalie me advertiu, visivelmente brava.

– Mas… – eu novamente tentei recomeçar.

– Mas Rose, veja bem é a primeira vez que uma garota dorme no quarto dele…

– Mas Alice ele é homem! – Rosalie advertiu. – E com certeza era porque… – mas o que era com certeza não conseguia mais ouvir minha cabeça girava tentando absorver tudo aquilo, estava sinceramente me sentindo muito mal, afinal eu havia transado com um cara que pelo que eu entendi do breve diálogo entre sua irmã e sua amiga de infância, ele transava com qualquer uma, pelo simples e puro prazer de desvirtuar jovens e lhe proporcionar prazer, porém ele NUNCA havia deixado uma menina dormir com ele no seu quarto, na casa dos seus pais, eu tinha sido a primeira, mas e se for por causa de não haver outro lugar, afinal estávamos de taxi, então… Meu Deus ele só queria isso comigo. Ele só queria se vangloriar que havia me desvirtuado!

NÃO! Não, meu anjo pessoal não faria isso comigo, mas ele mantinha um relacionamento com uma bissexual, só para que uma vez ou outra quando não encontrava uma garota bobinha que ele possa levar para a cama. Não!!! Definitivamente não, ele não esta me encarando só como uma simples aventura, ele fora tão atencioso comigo, tão carinhoso. Não, Edward Cullen, não faria isso comigo, eu não era só uma aventura para ele, com certeza não!

– Bella!? Bella?! – eu escutava alguém chamando meu nome ao longe. – BELLA??

– Ow… sim Alice… Rosalie? – eu perguntei em duvida, dispersando meus pensamentos sombrios.

– Você esta bem, Bella? – Rosalie questionou.

– Bella, você… – Alice começou.

– Eu estou bem! – tentei transparecer confiança na minha resposta. Elas sorriram para mim.

– Mas você… er… esta arrependida? – Rosalie me perguntou hesitante.

Não! – eu respondi rápido demais, afinal eu não sabia se estava ou não arrependida depois de toda aquela conversa. Eu estava visivelmente confusa.

– Se você quiser eu posso conversar com o Ed, sobre isso.

– Não precisa Alice, eu estou bem. – eu lancei um sorriso para as duas. – Juro. – completei ao ver que elas me analisavam. – Era o que eu queria! – tentei ao máximo transparecer confiança.

– Bem… se você diz. – Rosalie me respondeu dando um sorriso lindo para mim.

– O que é isso que vocês estão tomando? – eu perguntei, tentando mudar de assunto.

– O meu é um Sex on the Beach e o da Alice é um Cosmopolitan. – parece que isso desviou a atenção delas do assunto anterior.

– Você quer outro? – Alice perguntou.

– Humm… por acaso não tem um Paradise? – eu perguntei timidamente.

– Mamão papaya, manga e kiwi? – Emmett que estava se aproximando perguntou. – Tudo isso com leve toque de vodka?

– Isso! – eu disse rindo.

– É para já, Bella, bela adormecida! – ele gritou voltando para o bar da piscina. Enquanto esperávamos o assunto foi para a rave de ontem, o que e agradeci mentalmente uma vez que não voltaria ao assunto eu mais Edward igual sexo, elas estavam elogiando animadamente o tal DJ da Nova Zelândia, que eu sinceramente não lembro, mas com certeza era por causa da companhia que eu tinha, elas ate comentaram que eu estava dançando muito animadamente, atribuíram tal animação a competência do tal DJ, definitivamente não seria eu que diria que não foi por isso.

Foi quando Edward veio caminhando com uma taça de coquetel com o meu Paradise dentro. Que ironia do destino Paradise, Edward caminhando contra o sol, era a visão do paraíso.

– Um Paradise para Bella! – ele exclamou feliz, me entregou o coquetel e depositou um beijo demorado na minha bochecha, que fez a minha pele formigar no local.

– Obrigada, Edward. – eu consegui suspirar enquanto ele me dava aquele meu sorriso torto tanto amava.

– Aproveite Bella! – ele me disse voltando para a piscina.

Alice e Rosalie continuavam a conversar sobre a rave, onde graças a Deus não tinha que participar muito. Depois elas mudaram drasticamente de assunto, afirmando algo como ir para o shopping fazer compras, o que afirmaram dizendo que a minha companhia era algo essencial. O assunto continuou leve a tarde toda e por Jesus não voltou ao assunto sobre a perda da minha virgindade.

Por volta das cinco e meia da tarde, voltamos para dentro da casa, onde Alice me levou ate o seu quarto e escolheu uma blusa “diferente”, para que eu usasse com a calça jeans que havia trazido. Ela acabou optando por uma bata azul claro com detalhes em azul marinho, extremamente decotada, fator esse que não me agradava muito. Após a “aventura” que foi o closet da Alice, ela me levou ate o quarto de hospedes que seria o meu. O quarto de hospedes a qual eu ficaria era incrivelmente bonito, a cor bege e azul dominava a decoração, uma cama king size se encontrava no meio do quarto, cama essa que gritava por mim, Alice se dirigiu ao banheiro enquanto me encaminhava para aquela cama, deitando. Havia passado somente um minuto, pelo menos para mim era isso, Alice veio me acordar.

– Bella, levanta você precisa tomar banho, minha mãe esta chegando para comandar a cozinha, ou seja você deve ter humm… – ela fez cara de quem pensava. – umas duas horas e meia para se arrumar e conhecer meus pais!

– Vai Alice, me deixa dormir só um pouquinho. – eu disse fechando meus olhos novamente.

– Lógico que não!! Já para aquele banheiro! – ela disse como uma ordem, que infelizmente eu sabia que não poderia desobedecer. Assim que entrei no banheiro meu queixo caiu, ela havia preparado meu banho na gigantesca banheira que havia ali coberta com espuma. Não tive opção a não ser retirar o biquíni que ainda estava vestindo e me encaminhei ate a banheira, me adentrei nela e a água estava quentinha, muito confortável de se ficar, o cheiro de lavanda entrava pelas minhas narinas e me deixava entorpecida, não demorou mais que uns cinco minutos e eu estava sonhando.

Sem duvida eu estava sonhando com o paraíso, o lugar do meu sonho era parecidíssimo com o jardim dos Cullens, mas era muito maior, a lagoa ali existente não era artificial, mas sim natural, e era gigante, sua água cristalina a deixava muito atraente, só o que deixava muito mais atraente era quem se encontrava no meio dela, que me convidava para acompanhá-lo, lançando a mim aquele sorriso torto inebriante, retirei o vestido florido que estava vestindo e percebi que era a única peça que me atrapalhava, e mergulhei naquela água cristalina, retirei minha cabeça da água e encarei a superfície procurando o alvo do meu desespero por entrar ali, mas não o encontrava em nenhum lugar. De repente senti um beijo na minha nuca, e me arrepiei, suas mãos desciam pelos meus ombros encontrando meus braços e depois entrelaçava os nossos dedos, ele continuava a beijar minha nuca, me fazendo arfar de prazer, foi quando desesperadamente abri meus olhos e senti o beijo continuando na minha nuca, virei para encarar a pessoa que a beijava, e lá estava ele, Edward Cullen, fazendo uma massagem suave nos meus ombros e sorrindo torto para mim.

– Achei que tinha trancado a porta. – eu disse surpresa.

– Trancou, mas eu tenho a chave. – ele disse sedutoramente. – Será que posso te acompanhar nesse banho?

– Humm, acho que sim. – disse lançando um sorriso a ele e corando por causa da minha resposta, da onde eu estava tirando tanta coragem? Essa definitivamente não era eu, um ser maléfico me dominou e assumiu o meu corpo! Sim era isso o que tinha acontecido para que eu agisse dessa maneira. Edward retirou sua bermuda ficando nu, o que me fez admirar toda aquela volúpia com desejo, então adentrou na banheira, e veio depositar um beijo ardente nos meus lábios. Enquanto me beijava, suas mãos começaram a explorar os meus seios, onde ele dava leves apertões, fazendo aumentar o meu prazer crescente. Enquanto uma de suas mãos acariciava o meu seio esquerdo, a outra começou a fazer carinhos pela minha barriga, fazendo meu estomago se revirar por causa do toque, foi então que ele começou a tocar as minhas coxas suavemente, fazendo com que eu arfasse de prazer, ele fazia pequenos círculos na sua extensão, eu me sentia louca de tesão, então um de seus dedos se dirigiram a minha entrada, e fazendo gemer de tesão, ele começou a meche-lo dentro de mim, me levando a loucura.

– Vai Bella, rebola para mim. – ele disse sexy, no meu ouvido. Atendi o seu pedido e rebolei em suas mãos, sentia o prazer me invadindo, e via os seus olhos negros de prazer, foi então que involuntariamente a minha mão foi para o seu membro e o segurei com força, e comecei com movimentos para cima e para baixo às vezes rápido ou mais devagar, e ele continua a penetrar seus dedos em mim, não estava mais agüentando ficar só “tocando” ele, eu queria sentir ele dentro de mim, parecendo que havia lido a minha mente, Edward puxou sua bermuda tirando uma camisinha, a colocou, voltando a se sentar na banheira. Puxando-me para o seu colo. Foi então que eu o senti entrando e mim, me fazendo soltar um gemido de prazer o que foi seguido por ele, e quando ele estava todo dentro de mim, começou um vai e vem frenético, ele não tinha a calma de ontem, naquele momento só tinha o desejo, o prazer, o tesão, para estimulá-lo mais comecei a rebolar em cima dele, o fazendo urrar de prazer.

Durante o ato Edward me beijava cheio de desejo, depois passava seus lábios para o meu pescoço, suas mãos exploravam os meus seios, o fazendo aumentar o meu prazer, eu por sua vez dava mordidinhas no lóbulo de sua orelha e em seu pescoço, que sempre alternava com beijos molhados e ardentes fazendo ele ir mais rápido nos seus movimentos, a água da banheira estava ficando insuportavelmente quente, o aroma da lavanda já não era mais sentido, de repente comecei a sentir meus músculos se contraírem, minha pulsação e meus batimentos cardíacos aceleraram, um arrepio em meu corpo, o suor querendo descer pela minha nuca, meu sexo se contraindo nervosamente, e a sensação de entrega, que veio no mesmo instante que a Edward, que respirava com dificuldade, mas não parava de dar beijos, mordidas e leves sucções no meu pescoço. Eu me encontrava num estado de êxtase tão grande que não conseguia raciocinar direito, eu estava entregue ao prazer que aquele deus grego havia me proporcionado, e por incrível que pareça ele também estava em êxtase e entregue ao prazer que eu havia lhe proporcionado.

Respirando com dificuldade, ele saiu lentamente de mim, o que me fez soltar um gemido de que ansiava por mais. Mesmo com a minha respiração descompassada, o trouxe para um beijo urgente, fazendo nossas línguas se enrolarem e se acariciarem ao mesmo tempo. Lutando comigo ele começou a se afastar para que respirássemos melhor.

– Uau… nada como a prática para se levar a perfeição. – ele disse suspirando. Fazendo-me sorrir e corar. – Acho que você já pode ser considerada a minha melhor transa. – ele me disse no meu ouvido.

– Bem… acho que você deve agradecer ao meu professor. – lhe respondi maliciosamente.

– Me lembre disso quando vê-lo!

– Tentarei. – usei toda a minha voz sexy, mas parece que não deu muito certo.

– Sabe se a gente não estivesse aqui há quase uma hora e meia, eu com certeza te arrastaria para aquela cama, para continuarmos com isso, mas infelizmente minha mãe já deve estar desesperada para me ver e Alice deve estar preocupada com você.

– Oh!! – exclamei assustada. – O que sua mãe vai pensar de mim? No mínimo que eu sou uma aproveitadora que está desvirtuando seu filinho.

– Bella, você é absurda! – ele me disse dando aquele sorriso torto para mim. – E tecnicamente quem foi desvirtuado aqui, foi você. – corei violentamente com esse comentário. – Será que podemos conversar sobre isso antes de descer?

– Edward, não há nada para conversar. – eu lhe disse tentando sorrir, mas internamente estava temerosa com o caminho que levaria aquela conversa.

– Bella, eu tirei sua virgindade quando você ainda estava sobre o efeito da bala, isso não é algo que um homem descente faz, então eu queria te pedir desculpa por te forçar a satisfazer o meu prazer. – eu disse martirizado.

– Você não tem o que desculpar, eu queria isso.

– Não Bella, você não queria. – ele disse sincero a mim. – Você é o tipo de garota que não faz isso. É o tipo que leva o seu pretendente para o seu pai conhecer, e depois que estivesse com o casamento marcado, ou depois de casada, você se entregaria. – depois desse desabafo hipócrita dele, não consegui outra reação a não ser gargalhar.

– Edward Cullen, dá onde você tira essas idéias? Meu, definitivamente você tem que parar de usar drogas. – eu lhe disse sarcasticamente.- Por que elas estão afetando o seu cerébro!.

Quê? – ele perguntou extremamente surpreso para mim.

– Posso ate ser um pouco conservadora, ou provinciana como você já me chamou, mas me guardar para o marido? – perguntei sarcástica. – Definitivamente não é meu estilo. Estou do outro lado do país numa faculdade que batalhei muito para conseguir, e você acha que não aproveitaria todas as minhas oportunidades? – ele continuava a me olhar com uma cara de incredulidade. – E sem querer inflar o seu ego, você me pareceu uma excelente oportunidade!

– Mas… – ele começou, mas fui mais rápida, sentei em seu colo novamente e colei nossos lábios, em um beijo ardente e cheio de intenções impuras, no começo ele me parecia meio relutante em retribuí-lo, mas por pouco tempo, porque depois ele me “ajudou” a fazer nossas línguas dançarem diversos ritmos, em várias velocidades, estava me levando a loucura. Edward separou se de mim, analisou profundamente os meus olhos, e me disse com uma voz presunçosa.

– Vamos nos divertir então!

 

—-

Hoje é meu TCC.. ai meu Deus, que medo! Torcem por mim? haha

E ai? gostaram do capítulo? Comentem!

Ele estendeu a mão para mim e eu a segurei prontamente, e fui caminhando com ele para fora do quarto para curtir um dia de sol na humilde residência dos Cullen.

Quando comecei a sair do quarto de Edward, esse me empurrou contra a parede e me deu um beijo ardente, me fazendo arfar e não conseguir respirar.

– Bella, por favor, não comenta nada com Alice sobre o esctasy, ok? – ele me pediu com urgência.

– Por quê? – perguntei curiosamente.

Promete? – ele me suplicou.

– Tudo bem, prometo. – eu lhe disse temerosa.

– Ótimo. – ele me disse dando aquele sorriso torto.

– Mas por que Edward? – perguntei. – Por que Alice não pode saber?

– Minha irmã não é tão tolerável, como parece, é só isso!

– Da minha boca não vai sair nada. – eu lhe disse, lançando um sorriso tímido.

– Eu tenho uma idéia melhor para essa boca. – ele disse rindo e me beijando ardentemente. Aquele beijo transparecia todas as emoções possíveis e imagináveis. Fazendo o meu corpo agir impulsivamente com as sensações que despertava era inexplicável, queria que ele me levasse de volta para o quarto e fizesse as loucuras mais insanas comigo, mas tive que reprimir essa idéia quando ele separou de mim relutantemente, seguimos caminhando para o segundo andar da casa.

No segundo andar, ele me disse que ficava o quarto de Emmett, Alice, Carlisle e Esme, e dois quartos para hospedes que normalmente eram ocupados por Rosalie e Jasper, não pude deixar de perguntar onde eu dormiria. Mas ele me disse que há um terceiro quarto de hospede no terceiro andar ao lado do quarto dele, ambiente esse que não havia visto, ainda no segundo andar ficava um banheiro social e o escritório de seu pai.

Continuamos a descer as escadas que levavam ao primeiro andar e pude notar que na parede próxima a ela havia uma serie de quadros lindos, que mostravam imagens coloniais e modernas. Alcançamos o primeiro andar e notei uma linda mesa de jantar para 8 pessoas a frente ao hall em que eu estava, sua cor era de madeira tabaco sem brilho, suas cadeiras eram forradas de um tecido que me lembrava veludo na cor bege, era esplendoroso. Ao lado direito do hall havia duas portas que davam acesso a uma sala de música e a sala de TV segundo Edward. A esquerda havia outra porta que levava a sala de estar e ao hall de entrada, ele continuava a me explicar onde ficavam os ambientes. No final da escada que eu havia descido estava à cozinha.

Ao entrar na cozinha meu queixo caiu, aquele ambiente era o sonho para qualquer dona de casa. Era gigantesca e espaçosa, com eletrodomésticos modernos e novos, em um canto havia uma pia e logo abaixo uma lava louças também moderna seguida por um armário na cor de madeira mel, na parede do lado esquerdo ficava a geladeira duplex, microondas, forno elétrico e outros eletrodomésticos e mais armários, na parede do lado direito havia uma porta de correr que dava para o jardim, ao centro da cozinha tinha o fogão embutido, e ao lado uma pequena mesa posta de café da manhã, sem duvida era tipicamente uma cozinha estilo americana.

– Bella, acho que você deve comer alguma coisa, antes de entrar na piscina. – ele me disse amavelmente.

– Humm, – eu lhe disse dando um sorriso. – não sei, não estou com fome.

– Toma pelo menos um copo de suco de laranja.

– Um copo de suco então. – ele me serviu um copo de suco, e eu o bebi, resolvi comer também uma torrada com mel, depois da insistência dele, afinal não conseguia fazer algo que ele não me pedisse. Depois desse meu rápido desejum, na companhia da pessoa mais maravilhosa do mundo, seguimos para o jardim rumo à piscina.

O jardim da casa dos Cullens era extremamente bem cuidado, havia todas as espécies de flores e cores, seus perfumes se misturavam e formavam uma fragrância única, ao centro havia uma fonte seguida por uma pequena lagoa, parecia um daqueles jardins japoneses. Edward notou que eu estava admirando de boca aberta o jardim.

– Gosta? – ele perguntou me abraçando.

– Muito, é lindo. – eu lhe disse maravilhada.

– Minha mãe cuida desse jardim, como se fosse o seu bebê. – ele disse rindo, porem seu tom de voz demonstrava um pouco de ciúmes.

Ciúmes da mamãe? – eu perguntei rindo. Ele evitou me responder, só bufando, resultando que não consegui segurar uma gargalhada, e ele me lançou um olhar mortífero.

Afastávamos calmamente da área onde se localizava o “jardim japonês”, chegamos à área de lazer onde uma choupana não muito grande, mas também não muito pequena, que possuía uma churrasqueira, um balcão com banquetas ornamentadas, um freezer branco disposto elegantemente ali, e espalhadas ao redor mesas e cadeiras de madeira envelhecida igualmente ornamentada como as baquetas o que dava ao ambiente um ar requintado e simples ao mesmo tempo. A piscina ficava logo ao lado da choupana ela era grande no formato retangular, mas a simplicidade passava longe dela, no canto direito havia um pequeno bar submerso, deixando-a esplendorosa, do lado esquerdo mais ao longe tinha uma pequena cascata, que dava um ar de cachoeira para ela, na extremidade mais próxima a mim, tinha uma escada de 4 degraus que estavam submersos pela água cristalina, a direita tomando sol estavam Rosalie e Alice, a primeira usava um biquíni modelo tomara que caia, e a parte de baixo um típico fio dental na cor vermelha, já a segunda usava um parecido com o meu, mas como era o tamanho dela tampava muito melhor (pelo menos na parte de trás), a cor era de um verde esmeralda do mesmo tom de seus olhos. Já Emmett e Jasper se encontravam dentro da piscina sentados no bar submerso conversando e rindo.

– Bella! – Alice gritou e acenou para mim. – Vem aqui com gente.

– E ai?! Bella, bela adormecida! – Emmett gritou de seu lugar arrancando risadas de todos.

Emmett. – eu disse com aspereza fazendo uma anotação mental, procurar um apelido terrível para Emmett.

– O ignore, é melhor assim… pelo menos tem horas. – Edward sussurrou no meu ouvido, me fazendo arrepiar. Dei um sorriso tímido em sua direção.

– Ed, pode deixar que eu cuido dela agora. – Alice disse a Edward, me puxando. – Vai lá com os meninos.

– Ok, Mestre! (n/a: referencia aos sete anões da Branca de Neve).

– Não. Me. Chame. Assim. – ela respondeu entre os dentes, arrancando risadas de todos. Continuei a caminhar na companhia de Alice, enquanto Edward mergulhava na piscina e se juntava com os meninos. Rosalie estonteante em seu biquíni vermelho sentou na sua espreguiçadeira e tomou um gole de seu coquetel, aguardando a nossa aproximação. Alice voltou a sentar na sua me pedindo para acompanhá-la, mal havia sentado as perguntas começaram.

– Então Bella o que achou de dormir na casa dos Cullens? – Rosalie perguntou sarcasticamente.

– Especificamente no quarto do meu irmão. – Alice a acompanhou no mesmo tom.

– Bom. – eu lhes respondi corando violentamente. Rosalie arqueou uma de suas sobrancelhas perfeitas.

– Você dormiu?! – ela perguntou ironicamente, o que me fez corar violentamente.

– Bella, larga de ser tímida eu te vi enrolada seminua nos lençóis da cama do meu irmão. – Alice estava rindo.

Alice! – eu exclamei corando mais, se fosse possível.

– To mentindo? – ela retrucou inocentemente arqueando uma sobrancelha.

– Bem… – eu comecei.

– Bella, larga de enrolação e conta tudo para nós! – Rosalie exclamou impaciente.

– Juro que vou tentar não ficar traumatizada. – Alice concordou cinicamente.

– Claro, porque o que eu fiz você com certeza nunca fez! – eu lhe respondi meio seca, arrancando risadas das duas.

– Então você fez alguma coisa? – Rosalie questionou outra vez.

– Talvez… – eu disse meio na duvida.

– Isabella Swan, você vai contar ou vai ficar nesse chove não molha? – Alice questionou novamente, mais impaciente.

– Foi bom? – Rosalie perguntou novamente.

– A melhor… – eu disse rindo timidamente. – de todas que eu já tive.

– Sério? – Rosalie perguntou surpresa. – Melhor de todas? – ela encarou Alice. – Seu irmão caçula é tudo isso?

– Bem… – Alice começou.

– Meninas, calma… – eu disse rindo, por causa da reação delas. – não tenho muito que comparar, essa foi a primeira vez. – eu respondi timidamente.

– Você esta me dizendo que você perdeu sua virgindade, aqui em casa e com meu irmão? – Alice perguntou em choque.

– Sim? – eu estava começando a ficar com medo delas, porque suas caras de espanto eram assustadoras.

– Bella, você contou isso para Edward? – Rosalie perguntou arqueando uma sobrancelha.

– Sim. – eu realmente estava começando a me sentir medo, por que estava começando a entender onde elas queriam chegar, e com certeza a minha cara se espanto era igual a delas.

– Vocês estão namorando? – Alice perguntou meio desconfiada, arqueando uma sobrancelha.

– Não, mas… – eu comecei.

– Bella! Você não deveria ter feito isso! – Rosalie me advertiu, visivelmente brava.

– Mas… – eu novamente tentei recomeçar.

– Mas Rose, veja bem é a primeira vez que uma garota dorme no quarto dele…

– Mas Alice ele é homem! – Rosalie advertiu. – E com certeza era porque… – mas o que era com certeza não conseguia mais ouvir minha cabeça girava tentando absorver tudo aquilo, estava sinceramente me sentindo muito mal, afinal eu havia transado com um cara que pelo que eu entendi do breve diálogo entre sua irmã e sua amiga de infância, ele transava com qualquer uma, pelo simples e puro prazer de desvirtuar jovens e lhe proporcionar prazer, porém ele NUNCA havia deixado uma menina dormir com ele no seu quarto, na casa dos seus pais, eu tinha sido a primeira, mas e se for por causa de não haver outro lugar, afinal estávamos de taxi, então… Meu Deus ele só queria isso comigo. Ele só queria se vangloriar que havia me desvirtuado!

NÃO! Não, meu anjo pessoal não faria isso comigo, mas ele mantinha um relacionamento com uma bissexual, só para que uma vez ou outra quando não encontrava uma garota bobinha que ele possa levar para a cama. Não!!! Definitivamente não, ele não esta me encarando só como uma simples aventura, ele fora tão atencioso comigo, tão carinhoso. Não, Edward Cullen, não faria isso comigo, eu não era só uma aventura para ele, com certeza não!

– Bella!? Bella?! – eu escutava alguém chamando meu nome ao longe. – BELLA??

– Ow… sim Alice… Rosalie? – eu perguntei em duvida, dispersando meus pensamentos sombrios.

– Você esta bem, Bella? – Rosalie questionou.

– Bella, você… – Alice começou.

– Eu estou bem! – tentei transparecer confiança na minha resposta. Elas sorriram para mim.

– Mas você… er… esta arrependida? – Rosalie me perguntou hesitante.

Não! – eu respondi rápido demais, afinal eu não sabia se estava ou não arrependida depois de toda aquela conversa. Eu estava visivelmente confusa.

– Se você quiser eu posso conversar com o Ed, sobre isso.

– Não precisa Alice, eu estou bem. – eu lancei um sorriso para as duas. – Juro. – completei ao ver que elas me analisavam. – Era o que eu queria! – tentei ao máximo transparecer confiança.

– Bem… se você diz. – Rosalie me respondeu dando um sorriso lindo para mim.

– O que é isso que vocês estão tomando? – eu perguntei, tentando mudar de assunto.

– O meu é um Sex on the Beach e o da Alice é um Cosmopolitan. – parece que isso desviou a atenção delas do assunto anterior.

– Você quer outro? – Alice perguntou.

– Humm… por acaso não tem um Paradise? – eu perguntei timidamente.

– Mamão papaya, manga e kiwi? – Emmett que estava se aproximando perguntou. – Tudo isso com leve toque de vodka?

– Isso! – eu disse rindo.

– É para já, Bella, bela adormecida! – ele gritou voltando para o bar da piscina. Enquanto esperávamos o assunto foi para a rave de ontem, o que e agradeci mentalmente uma vez que não voltaria ao assunto eu mais Edward igual sexo, elas estavam elogiando animadamente o tal DJ da Nova Zelândia, que eu sinceramente não lembro, mas com certeza era por causa da companhia que eu tinha, elas ate comentaram que eu estava dançando muito animadamente, atribuíram tal animação a competência do tal DJ, definitivamente não seria eu que diria que não foi por isso.

Foi quando Edward veio caminhando com uma taça de coquetel com o meu Paradise dentro. Que ironia do destino Paradise, Edward caminhando contra o sol, era a visão do paraíso.

– Um Paradise para Bella! – ele exclamou feliz, me entregou o coquetel e depositou um beijo demorado na minha bochecha, que fez a minha pele formigar no local.

– Obrigada, Edward. – eu consegui suspirar enquanto ele me dava aquele meu sorriso torto tanto amava.

– Aproveite Bella! – ele me disse voltando para a piscina.

Alice e Rosalie continuavam a conversar sobre a rave, onde graças a Deus não tinha que participar muito. Depois elas mudaram drasticamente de assunto, afirmando algo como ir para o shopping fazer compras, o que afirmaram dizendo que a minha companhia era algo essencial. O assunto continuou leve a tarde toda e por Jesus não voltou ao assunto sobre a perda da minha virgindade.

Por volta das cinco e meia da tarde, voltamos para dentro da casa, onde Alice me levou ate o seu quarto e escolheu uma blusa “diferente”, para que eu usasse com a calça jeans que havia trazido. Ela acabou optando por uma bata azul claro com detalhes em azul marinho, extremamente decotada, fator esse que não me agradava muito. Após a “aventura” que foi o closet da Alice, ela me levou ate o quarto de hospedes que seria o meu. O quarto de hospedes a qual eu ficaria era incrivelmente bonito, a cor bege e azul dominava a decoração, uma cama king size se encontrava no meio do quarto, cama essa que gritava por mim, Alice se dirigiu ao banheiro enquanto me encaminhava para aquela cama, deitando. Havia passado somente um minuto, pelo menos para mim era isso, Alice veio me acordar.

– Bella, levanta você precisa tomar banho, minha mãe esta chegando para comandar a cozinha, ou seja você deve ter humm… – ela fez cara de quem pensava. – umas duas horas e meia para se arrumar e conhecer meus pais!

– Vai Alice, me deixa dormir só um pouquinho. – eu disse fechando meus olhos novamente.

– Lógico que não!! Já para aquele banheiro! – ela disse como uma ordem, que infelizmente eu sabia que não poderia desobedecer. Assim que entrei no banheiro meu queixo caiu, ela havia preparado meu banho na gigantesca banheira que havia ali coberta com espuma. Não tive opção a não ser retirar o biquíni que ainda estava vestindo e me encaminhei ate a banheira, me adentrei nela e a água estava quentinha, muito confortável de se ficar, o cheiro de lavanda entrava pelas minhas narinas e me deixava entorpecida, não demorou mais que uns cinco minutos e eu estava sonhando.

Sem duvida eu estava sonhando com o paraíso, o lugar do meu sonho era parecidíssimo com o jardim dos Cullens, mas era muito maior, a lagoa ali existente não era artificial, mas sim natural, e era gigante, sua água cristalina a deixava muito atraente, só o que deixava muito mais atraente era quem se encontrava no meio dela, que me convidava para acompanhá-lo, lançando a mim aquele sorriso torto inebriante, retirei o vestido florido que estava vestindo e percebi que era a única peça que me atrapalhava, e mergulhei naquela água cristalina, retirei minha cabeça da água e encarei a superfície procurando o alvo do meu desespero por entrar ali, mas não o encontrava em nenhum lugar. De repente senti um beijo na minha nuca, e me arrepiei, suas mãos desciam pelos meus ombros encontrando meus braços e depois entrelaçava os nossos dedos, ele continuava a beijar minha nuca, me fazendo arfar de prazer, foi quando desesperadamente abri meus olhos e senti o beijo continuando na minha nuca, virei para encarar a pessoa que a beijava, e lá estava ele, Edward Cullen, fazendo uma massagem suave nos meus ombros e sorrindo torto para mim.

– Achei que tinha trancado a porta. – eu disse surpresa.

– Trancou, mas eu tenho a chave. – ele disse sedutoramente. – Será que posso te acompanhar nesse banho?

– Humm, acho que sim. – disse lançando um sorriso a ele e corando por causa da minha resposta, da onde eu estava tirando tanta coragem? Essa definitivamente não era eu, um ser maléfico me dominou e assumiu o meu corpo! Sim era isso o que tinha acontecido para que eu agisse dessa maneira. Edward retirou sua bermuda ficando nu, o que me fez admirar toda aquela volúpia com desejo, então adentrou na banheira, e veio depositar um beijo ardente nos meus lábios. Enquanto me beijava, suas mãos começaram a explorar os meus seios, onde ele dava leves apertões, fazendo aumentar o meu prazer crescente. Enquanto uma de suas mãos acariciava o meu seio esquerdo, a outra começou a fazer carinhos pela minha barriga, fazendo meu estomago se revirar por causa do toque, foi então que ele começou a tocar as minhas coxas suavemente, fazendo com que eu arfasse de prazer, ele fazia pequenos círculos na sua extensão, eu me sentia louca de tesão, então um de seus dedos se dirigiram a minha entrada, e fazendo gemer de tesão, ele começou a meche-lo dentro de mim, me levando a loucura.

– Vai Bella, rebola para mim. – ele disse sexy, no meu ouvido. Atendi o seu pedido e rebolei em suas mãos, sentia o prazer me invadindo, e via os seus olhos negros de prazer, foi então que involuntariamente a minha mão foi para o seu membro e o segurei com força, e comecei com movimentos para cima e para baixo às vezes rápido ou mais devagar, e ele continua a penetrar seus dedos em mim, não estava mais agüentando ficar só “tocando” ele, eu queria sentir ele dentro de mim, parecendo que havia lido a minha mente, Edward puxou sua bermuda tirando uma camisinha, a colocou, voltando a se sentar na banheira. Puxando-me para o seu colo. Foi então que eu o senti entrando e mim, me fazendo soltar um gemido de prazer o que foi seguido por ele, e quando ele estava todo dentro de mim, começou um vai e vem frenético, ele não tinha a calma de ontem, naquele momento só tinha o desejo, o prazer, o tesão, para estimulá-lo mais comecei a rebolar em cima dele, o fazendo urrar de prazer.

Durante o ato Edward me beijava cheio de desejo, depois passava seus lábios para o meu pescoço, suas mãos exploravam os meus seios, o fazendo aumentar o meu prazer, eu por sua vez dava mordidinhas no lóbulo de sua orelha e em seu pescoço, que sempre alternava com beijos molhados e ardentes fazendo ele ir mais rápido nos seus movimentos, a água da banheira estava ficando insuportavelmente quente, o aroma da lavanda já não era mais sentido, de repente comecei a sentir meus músculos se contraírem, minha pulsação e meus batimentos cardíacos aceleraram, um arrepio em meu corpo, o suor querendo descer pela minha nuca, meu sexo se contraindo nervosamente, e a sensação de entrega, que veio no mesmo instante que a Edward, que respirava com dificuldade, mas não parava de dar beijos, mordidas e leves sucções no meu pescoço. Eu me encontrava num estado de êxtase tão grande que não conseguia raciocinar direito, eu estava entregue ao prazer que aquele deus grego havia me proporcionado, e por incrível que pareça ele também estava em êxtase e entregue ao prazer que eu havia lhe proporcionado.

Respirando com dificuldade, ele saiu lentamente de mim, o que me fez soltar um gemido de que ansiava por mais. Mesmo com a minha respiração descompassada, o trouxe para um beijo urgente, fazendo nossas línguas se enrolarem e se acariciarem ao mesmo tempo. Lutando comigo ele começou a se afastar para que respirássemos melhor.

– Uau… nada como a prática para se levar a perfeição. – ele disse suspirando. Fazendo-me sorrir e corar. – Acho que você já pode ser considerada a minha melhor transa. – ele me disse no meu ouvido.

– Bem… acho que você deve agradecer ao meu professor. – lhe respondi maliciosamente.

– Me lembre disso quando vê-lo!

– Tentarei. – usei toda a minha voz sexy, mas parece que não deu muito certo.

– Sabe se a gente não estivesse aqui há quase uma hora e meia, eu com certeza te arrastaria para aquela cama, para continuarmos com isso, mas infelizmente minha mãe já deve estar desesperada para me ver e Alice deve estar preocupada com você.

– Oh!! – exclamei assustada. – O que sua mãe vai pensar de mim? No mínimo que eu sou uma aproveitadora que está desvirtuando seu filinho.

– Bella, você é absurda! – ele me disse dando aquele sorriso torto para mim. – E tecnicamente quem foi desvirtuado aqui, foi você. – corei violentamente com esse comentário. – Será que podemos conversar sobre isso antes de descer?

– Edward, não há nada para conversar. – eu lhe disse tentando sorrir, mas internamente estava temerosa com o caminho que levaria aquela conversa.

– Bella, eu tirei sua virgindade quando você ainda estava sobre o efeito da bala, isso não é algo que um homem descente faz, então eu queria te pedir desculpa por te forçar a satisfazer o meu prazer. – eu disse martirizado.

– Você não tem o que desculpar, eu queria isso.

– Não Bella, você não queria. – ele disse sincero a mim. – Você é o tipo de garota que não faz isso. É o tipo que leva o seu pretendente para o seu pai conhecer, e depois que estivesse com o casamento marcado, ou depois de casada, você se entregaria. – depois desse desabafo hipócrita dele, não consegui outra reação a não ser gargalhar.

– Edward Cullen, dá onde você tira essas idéias? Meu, definitivamente você tem que parar de usar drogas. – eu lhe disse sarcasticamente.- Por que elas estão afetando o seu cerébro!.

Quê? – ele perguntou extremamente surpreso para mim.

– Posso ate ser um pouco conservadora, ou provinciana como você já me chamou, mas me guardar para o marido? – perguntei sarcástica. – Definitivamente não é meu estilo. Estou do outro lado do país numa faculdade que batalhei muito para conseguir, e você acha que não aproveitaria todas as minhas oportunidades? – ele continuava a me olhar com uma cara de incredulidade. – E sem querer inflar o seu ego, você me pareceu uma excelente oportunidade!

– Mas… – ele começou, mas fui mais rápida, sentei em seu colo novamente e colei nossos lábios, em um beijo ardente e cheio de intenções impuras, no começo ele me parecia meio relutante em retribuí-lo, mas por pouco tempo, porque depois ele me “ajudou” a fazer nossas línguas dançarem diversos ritmos, em várias velocidades, estava me levando a loucura. Edward separou se de mim, analisou profundamente os meus olhos, e me disse com uma voz presunçosa.

– Vamos nos divertir então!

Anúncios

Ações

Information

3 responses

10 11 2010
Bella

Muito bom!!! Bella safadeeenha!!!!

Ah e Muita sorte lá no TCC!

10 11 2010
Dani

aii que coisa mais arrepianteee uii

12 11 2010
karla

que coisa mais fofaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: