TAKIN’ BACK MY LOVE – Capítulo 03

20 01 2012

Música do capítulo – Me Hipnotizas – Anahí

Bella PDV

Seja racional Bella, você quer isso, ele quer isso, e sua paz necessita disso.

Eu disse a mim mesma várias vezes, enquanto pensava olhando para a taça de vinho na minha frente. Na verdade eu não queria mais ver Edward, mas eu vou correr e fugir dele pelo resto da minha vida? Isso não é justo nem comigo e nem com ele.

Eu entendi bem que ele não fez com consciência do que fazia, mas ele fez, isso não muda os fatos. Deixei-me ser convencida por Alice de vir ao restaurante conversar com ele.

Da mesma forma que eu não estava preparada para essa conversa, ele também não estava. Ele também sofreu, e só eu sei a dor que senti, como os dias foram difíceis depois de tudo aquilo.

Senti alguém me observar e levantei o rosto, encontrando seus lindos e belos olhos cor de esmeralda. Edward sorriu timidamente, e puxou uma cadeira, sentando na minha frente.

— Desculpe a demora, é que eu realmente não sabia que você ia vir. Estava na cozinha então fui trocar de roupa.

— Tudo bem – sussurrei tentando sorrir, mas acho que saiu uma careta.

Ele chamou um de seus garçons pedindo o cardápio. Eu não estava com fome, na verdade o meu estômago estava se revirando de nervoso.

— Então o que vai querer? – ele perguntou e eu mordi o lábio, realmente não sabia o que pedir.

— Me indique alguma coisa – boa estratégia.

— Hum – ele sorriu chamando novamente o garçom. – Traga, por favor 2 raviólis ao molho de tomate seco.

Ele sabia que eu amava Ravióli. Ele sabia que eu amava tomate seco. Ele ainda me conhece, melhor do que qualquer pessoa.

Voltei a olhar para minha taça, e a levei até os lábios tomando um pouco do vinho.

— Então… – eu disse ajeitando minhas mãos sobre a mesa e olhando para ele.

Ele respirou fundo, como se preparasse o corpo para dizer algo.

— Bella, eu sei que milhões de desculpa, não vão apagar tudo o que aconteceu – me concentrei em respirar e mandar as minhas lágrimas ficarem quietas. – Foram 3 anos difíceis para mim, e não duvido que tenha sido diferente para você. Eu não vivi, eu sobrevivia a cada dia com muita luta – ele suspirou. – Na verdade eu sobrevivia a cada minuto com bastante luta, e ainda sobrevivo assim.

Seus olhos faiscaram com tristeza, e meu coração se aperto.

Mesmo com seus erros, meu Deus, eu amo esse homem.

— Não sei se depois de te ver de novo vou conseguir juntar os meus cacos – percebi algo brilhando no canto dos seus olhos. Pareciam lágrimas – Eu quero ser seu amigo Bella, pelo menos isso. Se para ter você na minha vida, terei que ser somente seu amigo, eu aceito isso. E você Bella quer ser minha amiga?

Era difícil ser racional com ele me olhando. Aquele mar verde me engolia. Como raciocinar com isso? Tão intenso. Lembro que me apaixonei por ele pelo olhar, era algo que sempre me prendeu.

Senti meu lábio tremer e meus olhos coçarem. Sua mão segurava a minha em cima da mesa. Seu polegar fazendo círculos em meus dedos. Sua pele macia e quente.

Reprimi um suspiro, pensando em minha resposta.

— Edward – comecei controlando a minha voz, tirando minha mão da dele lentamente – Também não sei como será minha vida depois de hoje. Passei 3 anos me conformando de que nunca mais iria te ver, porque eu realmente não queria te ver.

Observei ele apertar nervosamente o guardanapo enrolando entre os dedos. Seus olhos ansiosos pela minha resposta.

— Hoje eu tive certeza de que nunca me curei do sentimento de estar perto de você, é como se nada tivesse acontecido. Mas aconteceu e as feridas ainda estão aqui, só que cicatrizadas. Doem um pouco, mas não sagram.

Suspirei, mordendo o lábio.

Ele percebeu que eu estava perto de uma decisão e sem perceber se inclinou um pouco.

— Eu aceito ser sua amiga Edward, mas somente isso. Não force nada comigo, porque você não vai conseguir. Eu não confio em você, não tanto para poder termos algo que tivemos no passado – seus olhos emitiram dor, que passou pelas minhas veias e atingiu meu coração machucado.

Minha vontade era de abraçá-lo, beijar seu rosto, seus lábios, dizer que o queria para sempre, mas a minha parte racional me manteve alerta sobre quem estava na minha frente, me fazendo o favor de lembrar aquela cena pavorosa que vivi no apartamento dele.

— Obrigado – ele sussurrou e tocou a ponta dos dedos na minha mão, levando uma onda de arrepio pelo meu corpo.

Antes que eu pudesse dizer algo, nossos pedidos chegaram.

O sabor era incrível.

Fechei os olhos sem perceber, saboreando aquelas misturas que só ele sabia. Ninguém seria capaz de fazer um ravióli tão bom quanto ele. Mesmo que não fosse exatamente ele fazendo agora, a receita, as instruções e os condimentos vieram dele. Minha mente entrou naquelas lembranças felizes.

No dia que ele fez esse prato para mim, foi quando inauguramos meu pequeno apartamento. Não era um luxo, era alugado, mas era o meu cantinho. Me recusei a deixar ele comprar um para mim, já que estávamos noivos, eu ia me mudar de lá logo.

Ele disse que faria um jantar especial para mim, enquanto eu arrumava minhas roupas no closet. O cheiro que me atingiu 40 minutos depois, fez meu estômago roncar.

Larguei meu trabalho pela metade e fui ver o que Edward estava preparando. A visão dele era como de um Deus Grego.

Ele estava com uma camisa azul escura, que definia bem seu corpo. Uma calça jeans escura, que me fazia querer arrancar elas. Um avental branco cobria a frente do seu corpo. Era a visão mais sexy do mundo.

Fiquei encostada no batente da porta, enquanto ele colocava algo na panela. Deixando uma tigela vazia no balcão, ele veio até mim, com o sorriso mais lindo do mundo.

— Já terminou o seu trabalho? – ele sussurrou contra meus cabelos, enquanto seu braço envolvia a minha cintura.

— Não – confessei, passando meus braços em torno do seu pescoço. O cheiro de tempero estava no ar, e misturado ao perfume dele, me deixava faminta, mas por outra coisa.

— Hum, então você veio ver o que eu estava fazendo não é? – seus lábios haviam tomado meu pescoço, com beijos, mordidas, pequenas coisas que me faziam pirar.

— Uhum – ele riu contra meu pescoço, a vibração se espalhando pelo meu corpo.

— Estou fazendo Ravióli com molho de tomate seco. Seus dois alimentos preferidos em um – ele deu um beijo no meu pescoço voltando para o seu trabalho.

Suspirei voltando à realidade, e peguei Edward me observando com os olhos brilhando. Senti minhas bochechas queimarem, sim ruborizar fazia parte do meu dia a dia.

— Uma moeda pelos seus pensamentos – ele sussurrou me fazendo corar novamente.

— Só… só estava lembrando da primeira vez que você fez Ravióli com tomate seco pra mim – eu disse tão baixo que duvidei que ele estivesse escutado.

— Ah – ele disse levando a taça de vinho a boca e tomando um gole. – Lembro bem daquele dia. Você espirrando por causa do pó de uns livros, desistindo de colocar suas roupas no closet, roubando tomate seco do ravióli antes que estivesse pronto – ele sorriu e eu não deixei de retribuir.

— E você me deu uma bronca porque eu estava desfalcando o jantar, mas eu estava com fome.

— Você tinha acabado de comer um pacote de salgadinhos.

— Aqueles minis salgadinhos não tampam nem o buraco do meu estomago.

— Ainda me pergunto para onde vai tanta comida, você come mais do que eu.

— Pelo menos não me chamou de gorda – eu ri e ele me acompanhou.

Talvez seja o começo de uma amizade saudável.

Edward PDV

Passar essas duas horas com Bella me fez sentir um homem vivo novamente.

Foi tão fácil e natural, como se nunca tivesse ocorrido uma separação. Rimos, conversamos sobre coisas que fizemos na Faculdade, micos que pagamos, confusões que nos metemos.

As tardes com Alice e Emmett, as coisas que fazíamos escondidos de nossos pais. Mas claro nunca falamos do nosso relacionamento, sei que se o tema fosse tocado o clima do jantar ia acabar.

Bella havia acabado de ir embora junto com Alice e Jasper. Minha pequena irmã, sempre conseguindo o que quer, só espero que tudo isso dê certo.

Estava fechando o caixa do restaurante e a maioria dos funcionários já haviam ido embora, estava apenas Emmett e alguns da limpeza.

— Então, como foi o jantar com a Bella?

— Foi bom – sorri lembrando. – Conversamos como amigos, claro. Não vou esperar mais do que isso, mesmo que seja o que eu quero.

— Bella está muito bonita, muito mais do que antigamente – estreitei meus olhos para ele, sabia que Emmett estava me provocando.

— Cala a boca Emmett.

— Fica frio irmão, melhor eu achar ela bonita do que outros.

— Espera, alguém por aqui falou sobre ela?

— Sabe como é né – ele coçou o queixo. – Praticamente todos não sabem quem é Bella, na verdade só eu e Mike sabemos. E te ver com uma mulher, depois de tanto tempo para eles é um evento histórico.

— Ta bem, mas o que falaram sobre ela?

— Acharam bonita, atraente, sexy, misteriosa, você sabe.

Ok, Emmett falar que a Bella é bonita tudo bem, mas meus funcionários?

Estavam parecendo urubu na carniça.

— Eu queria ter tido tempo para falar com ela, mas será possível em uma outra oportunidade. Está na hora de ir para casa, Rose está me esperando – Emmett deu um tapinha nas minhas costas. – Boa sorte com a Bella, ela te ama só precisa confiar em você. Boa noite Ed.

— Boa noite Emm, até amanhã.

Fiquei ali mais alguns minutos esperando todos terminarem de limpar para fechar o restaurante.

Meu apartamento não era longe do local, e tudo o que eu queria era um bom banho, e uma noite de sono, sonhando com a Bella, claro.

Bella PDV

Cheguei ao hotel radiante. Eu estava imensamente feliz, mesmo sabendo que isso poderia me machucar depois.

Passar esse tempo com o Edward foi ótimo, estou relaxada e com a cabeça nas nuvens.

Ele sempre será aquele que fará meu coração acelerar, e o ver rindo, brincando comigo, relembrando de coisas que fizemos na faculdade, foi como voltar no tempo, e nos ver sentados na varanda do seu apartamento, conversando sobre nossas loucuras.

Suspirei e passei o cartão na porta do meu quarto, e quase cai dura ao ver Jacob parado na minha frente.

— Porra, quer me matar Jake.

— E então? – ele estava parado com os braços cruzados e uma expressão não muito feliz.

— E então o que? – fechei a porta e caminhei até a minha mala para pegar algo para vestir.

— O jantar. Edward Cullen – ele disse com a voz fria. Suspirei e peguei minha roupa de dormir na mala.

— Foi tranqüilo, decidi dar uma chance para ele – quando ele abriu a boca para falar algo eu interrompi. – Não é o que você está pensando, vamos ser amigos, nada mais do que isso. Não sou idiota para voltar com ele, não agora.

— Então você pensa em voltar para ele?

— Jake, olha eu sei que te pedi para me ajudar com isso, mas realmente eu não estou pensando em voltar com ele. É a primeira vez que conversamos de verdade em 3 anos, e foi bom, fez bem pra mim. E eu preciso dessa amizade Jake, é importante.

— Tudo bem – ele resmungou. – Mas se ele te magoar mesmo que seja um pouco, eu acabo com ele.

— Obrigada Jake, agora que o momento irmão-mais-velho acabou, eu gostaria de ir dormir, vai pro seu quarto, amanhã quero andar um pouco.

— Ok – ele deu um beijo na minha testa. – Boa noite e juízo viu.

— Pode deixar que eu tenho juízo e de sobra.

Jake saiu do meu quarto, e eu fui me trocar, mas acabei optando por um banho.

A água quente relaxava meus músculos, e a imagem do Edward não saia da minha cabeça, mas agora eu estava com lembranças, digamos que sexy.

A forma como ele sorri, sua mão bagunçando seus cabelos já bagunçados, os olhos verdes transmitindo sua sensualidade, a risada rouca me faz arrepiar.

Estar perto dele, me dez lembrar de como é bom ter o seu corpo junto ao meu, o calor que ele transmite, o cheiro que ele exala…

Foco Bella, o que é isso?

Sacudi minha cabeça e sai do banho. Coloquei minha roupa, deitei na cama, e mesmo tentando fugir das lembranças mais quentes de Edward enquanto eu ainda estava acordada, não consegui escapar das imagens que meu inconsciente me mandou durante meus sonhos.

Edward PDV

— Me conte, me conte, me conte – Alice quicava em cima da minha cama em plena as 7 horas da manhã.

— Alice, quero dormir – sim ela tinha me acordado de um sonho com a Bella.

— Larga de preguiça, eu tenho que ir resolver coisas do casamento as 9 e só tinha esse horário para vir. Vai me conta logo o que vocês conversaram?

Suspirei sentando na cama, minha irmã era impossível.

— Falei tudo o que eu sentia para ela, a forma que eu me sentia despreparado para ter aquela conversa, mas que eu queria acima de tudo ser amigo dela. Como você pode observar ela aceitou, ai conversamos sobre o passado e…

— Espera, sobro o passado?

— Sim, menos do que você está pensando. Falamos sobre coisas que fizemos na faculdade, rolos que nós nos metemos, mas não faláramos sobre nosso relacionamento.

— Bem – ela suspirou. – Isso era o esperando, mas faça tudo certo dessa vez Edward, é a sua única e última chance de ter a Bella de volta, se ela me escutasse agora me bateria – ela fez uma careta.

— Provavelmente – sorri e ela me deu um tapa no braço. – Ai isso dói.

— Eu sei que dói – ela sorriu. – Mas voltando ao assunto, se eu não ajudar vocês, acaba que ela vai embora e vocês não se resolvem.

Ai estava uma questão que eu não havia pensado. Em menos 1 mês Bella iria embora, e cada um tomaria conta da sua vida.

Eu iria sobreviver a essa ‘separação’? Não sei.

— Alice e… e quando ela for embora? – minha voz estava baixa, já pressentia a dor que viria.

— Ela não precisa ir embora – Alice sorriu e eu conhecia aquele sorriso.

Tinha algo diabólico por trás dele.

— O que você está pensando em fazer?

— Eu? Nada – ela segurou no meu queixo e apertou – Nada que você precise saber, não agora.

— Alice…

— Não reclama Edward, você vai me agradecer muito depois.

— Posso pelo menos ter uma idéia do que seja.

Ela parou, colocou um dedo no queixo fingindo que tava pensando.

— Eu acho que… – então olhou pra mim. – Não.

Droga.

— Edward, eu sei 2 coisas que podem prender Bella a LA.

— Quais?

— Você e outra coisa. Se você não der certo eu uso minha outra carta. Mas eu acho que vou usar ela da mesma forma.

— Você é terrível.

— Eu sei – ela gargalhou e deu um beijo na minha bochecha. – Irmão querido, eu tenho que ir. Pode voltar a dormir se quiser.

Revirei os olhos.

— Agora perdi o sono.

— Tanto faz – ela deu de ombros. – Tchau estou atrasada para o café da manhã com o Jazz.

— Tchau sua louca – ela jogou um travesseiro em mim, e saiu do quarto.

Suspirei e peguei meu celular. Pensei, pensei e pensei.

Fiquei uns 10 minutos pensando e então mandei uma mensagem.

‘Bella,

Quer me encontrar para o café da manhã? Tem uma Starbucks perto do seu hotel, posso ir lhe buscar.

Edward’

Bella PDV

‘Bella,

Quer me encontrar para o café da manhã? Tem uma Starbucks perto do seu hotel, posso ir lhe buscar.

Edward’

Eu estava olhando para o meu celular, sem acreditar no que eu tinha acabado de ler. Eu tinha acordado cedo com uma ligação de Alice, dizendo que às 11 eu devia estar pronta porque ela viria me buscar para alguma coisa que meu cérebro não processou.

E agora recebo uma mensagem do Edward me convidando para tomar café da manhã.

Meu coração e a razão travaram uma guerra para que eu tomasse essa decisão.

Arriscado demais, a razão gritava.

Perfeito demais, o coração retrucava.

Eu estava completamente confusa. Deixei o celular em cima da cama e fui para o banheiro. Lavei o meu rosto e fiquei alguns minutos me olhando no espelho.

Ele provou ser completamente controlado ontem à noite. Dê a ele uma chance.

Mordi o lábio e resolvi tomar um banho. Deixei a água quente relaxar meus músculos enquanto eu tomava a minha decisão.

Realmente Edward se portou muito bem na noite passada, não tinha nada para temer.

Além do fato do meu coração quase pular pra fora do meu peito quando eu o vejo, realmente não tem nada.

Terminei o banho e peguei meu roupão. Depois de coloca-lo, peguei uma toalha e comecei a secar meu cabelo, enrolei ele em meu cabelo, fazendo uma espécie de ‘turbante’ e voltei pro quarto.

Olhei pro celular com a decisão tomada.

’Tomarei café com você. Eu te encontro na porta do hotel em 30 minutos.

Bella’

Edward PDV

’Tomarei café com você. Eu te encontro na porta do hotel em 30 minutos.

Bella’

Ainda bem que eu estava deitado quando recebi a mensagem, porque se eu estivesse em pé definitivamente eu teria caído de costas.

Ela aceitou, e a chama de esperança acendeu em mim.

Levantei em um salto e fui tomar um banho. Não tinha botado fé que ela iria aceitar, então tinha virado na cama e voltado a dormir.

Quando o blackberry apitou pensei que era Alice, pensei que era até o Papa, menos ela.

Não se empolgue Cullen, ela está sendo uma boa amiga

Terminado o meu banho, coloquei uma roupa, em tempo recorde. O hotel não era longe daqui, mas eu não queria me atrasar.

Olhei à hora no blackberry, ainda faltavam 15 minutos. Respirei fundo, colocando meus pensamentos em ordem.

Sai do apartamento e fui rumo à garagem. Conquistar sua confiança aos poucos. Repeti mentalmente meu mantra.

Na realidade eu só queria por ter ela em meus braços, mas eu sei que não seria nada fácil.

O transito estava tranquilo até o hotel. Parei em frente e procurei ela rapidamente. Ela ainda não tinha descido.

Olhei meu blackberry.

5 minutos.

Voltei a olhar para a porta do hotel, e então ela apareceu. Trinquei os dentes, com a visão. O Jacob babaca Black, estava com ela. Um braço em volta da cintura dela, e falando algo perto da sua orelha, que a fez rir e dar um tapinha em seu ombro.

Ela olhou pra frente e me viu. Acenou com um sorriso, e eu fiz o meu melhor para retribuir. Ela disse algo pro babaca, e ele lhe deu um beijo na bochecha.

Esse cara sempre seria que ser a minha pedra.

Bella PDV

Depois da minha luta sobre o que vestir, consegui sair faltando 5 minutos para o Edward chegar.

— Onde você vai? – Jacob perguntou parado na porta do quarto dele, quando eu sai do meu.

— Bom dia pra você também – sorri, fechei a porta do quarto e caminhei até o elevador

— Desculpe Bella, bom dia – apertei o botão do elevador e encostei na parede para esperar. – Então onde você vai?

— Tomar café da manhã;

— Posso ir com você?

— Só se quiser a companhia do Edward – sorri sarcasticamente.

— É não acho uma boa idéia – ele fez uma careta e eu ri.

O elevador parou e eu entrei sendo seguida por ele.

— Tome cuidado.

— Eu sempre tomo Jake, não se preocupe.

— Sei – o elevador parou e ele passou o braço pela minha cintura. – Só me preocupo com você pequena – ele me cutucou na costela me fazendo rir.

— Eu sei eu sei – olhei para frente e vi o carro do Edward parado. – Vou indo Jake – dei um beijo na bochecha dele.

— Se cuida.

Edward não estava com a cara muito boa, e eu imaginei bem por que, suspirei e ele saiu do carro, mudando totalmente a fisionomia, com um belo sorriso torto.

— Bom dia – ele disse me puxando para um abraço.

O cheiro dele era incrível.

— Bom dia – dei um beijo na bochecha dele, e o calor da sua pele penetrou pelos meus lábios.

Os segundos para mim estando nos braços dele, pareciam longos minutos, ele deu um beijo na minha testa, e me levou até o outro lado do carro.

Abriu a porta como um perfeito cavalheiro, e eu entrei ainda tentando tirar minha mente do efeito Edward Cullen.

— Starbucks?

— Oi? – perguntei confusa.

— Eu te perguntei se você quer ir na Starbucks mesmo – ele sorriu ligando o carro. – Parece que você está viajando Bella.

— Ah desculpe, é que sua linda irmã me acordou cedo – fiz uma careta, e ele gargalhou.

— Somos dois então. Ela apareceu do anda no meu quarto, pulando em cima da minha cama.

— Alice é um pequeno furacão.

Conversamos durante o pequeno trajeto. Ele estacionou em frente a Starbucks e abriu a porta pra mim.

Poderia ser mais perfeito?

Ok Bella, pare com isso.

— Eu já sei o que eu quero – eu disse quando entramos no local.

— E eu sei o que você quer: Café Latte e Tostex – ele sorriu.

— É você realmente me conhece – escolhemos uma mesa ao fundo. Sentei no sofá que ficava em volta dele e ele ao meu lado.

— Conheço você, melhor do que você mesma – ele piscou e senti uma parte do meu coração inchar.

E isso era verdade.

Uma garçonete veio até a nossa mesa, e mesmo vendo que o Edward estava com alguém do lado dele, ficou flertando. Ta que eu não conto como uma super companhia, ou namorada, mas eu sou uma pessoa ok?

Arqueei minha sobrancelha pra ela enquanto ela saia.

— O que foi? – Edward perguntou. Ou ele estava confuso ou se fazendo de sonso.

— Nada – sorri sarcasticamente, contando até 10.

Tudo bem eu estou com ciúmes dele, e não tenho direito de fazer isso.

— Vamos ver se você realmente se lembra de tudo – tentei mudar de assunto.

— Depois, mas primeiro me diga por que essa cara? Você quase matou a moça com o olhar.

— Bem que eu poderia ter matado – rosnei entre dentes.

— O que você disse?

— Eu disse que não é nada.

— Sei, eu já falei que te conheço. E se eu estou enganado – Edward inclinou para mais perto de mim. – Você está com ciúme – ele sussurrou.

Eu admitir para mim é uma coisa, mas pra ele é outra.

— Não estou não – franzi a testa. – Não viaja Edward.

— Você sempre faz essa cara quando está com ciúme, e sempre franze a testa quando nega – ele riu e seu hálito quente foi como um soco na minha cara.

Mordi meu lábio. É ele me pegou.

— Tudo bem eu estava com um pouco de ciúme, mas ela só faltou se esfregar em você ok. – virei meu rosto para a janela, sentindo minhas bochechas pegarem fogo.

Ele riu e passou a mão pelo meu braço.

— Bella.

— …

— Vai ficar em silêncio agora?

— …

— Hum, quem sabe aquela garçonete não está afim de conversar.

Virei meu rosto olhando pra ele, com os olhos estreitados.

— Vai lá então.

— Ohh… que ciumenta – ele passou o braço pela minha cintura, e quando eu vi estava com meu corpo colado ao dele, e meu rosto em seu ombro.

Meu nariz tocou seu pescoço, e eu senti meu sangue correr mais rápido. Sua respiração ficou mais forte, e eu acho que parei respirar por uns instantes.

Meus olhos varreram pelo seu pescoço, subindo pelo seu maxilar. Seus lábios levemente rosados estavam secos, continuei a viagem pelo seu rosto, até encontrar seus lindos e belos olhos verdes cravados em mim.

Não lembro como, só sei que quando me dei conta, meus lábios estavam junto aos dele.

Anúncios

Ações

Information

4 responses

20 01 2012
Renata

Morri com esse capítulo… Preciso urgentemente do próximo! aaaahhh

20 01 2012
ciça

llindo perfeito.adorei.mais precisa sem maior as finc pois acabam muito rápido.

20 01 2012
Laura

ahhhhhh que perfeito! louca pelo proximo!!

21 01 2012
Joyce

Muito lindo, véi. Ansiosa pro próximo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: