Monrovia Town – Capítulo 14

12 08 2011

https://i1.wp.com/oi55.tinypic.com/ztyr60.jpg

Capítulo 14 – My Girl

PoV Edward

“Tenho a impressão de ter sido uma criança brincando à beira-mar, divertindo-me em descobrir uma pedrinha mais lisa ou uma concha mais bonita que as outras, enquanto o imenso oceano da verdade continuava misterioso diante de meus olhos”.
Isaac Newton

Rosas… baunilha… morangos… pêssego…

Eram tantos cheiros que eu não conseguia distinguir o real, mas não existia melhor forma de começar um dia. Não tinha manhã mais perfeita.

O sol bateu na colcha onde estávamos cobertos, me fazendo sentir a claridade, e abri os olhos, respirando mais uma vez os inúmeros cheiros que vinham do cabelo de Bella. A nossa química era algo mágico, ao ponto de eu conseguir sentir a calma e a felicidade por todos os meus poros, só de ter seus cabelos na altura de meu nariz.

Bella estava com sua cabeça no vão de meu pescoço, ressonando baixo, e com o semblante extremamente calmo. Era assim que eu queria viver o resto de minha vida. A noite passada tinha sido perfeita, e exatamente como eu esperava. Foi uma forma de darmos o primeiro passo, mas sem avançar demais. Me lembro que antes de dormir fomos comer, e ficamos trocando olhares em silêncio, enquanto mastigávamos. Bella me parecia satisfeita, feliz, e realizada. E eu, idiota que sou, estava pulando de felicidade por proporcionar esse tipo de sensação a ela. Era muito bom ver suas bochechas coradas, seus dentes e seu sorriso encantador, o jeito que ela mordia os lábios e se envergonhava de falar comigo sobre o assunto. Tudo nela era encantador.

Olhei para o relógio vendo que passavam das nove da manhã, e achei melhor acordarmos, pro caso de Charlie chegar em casa. Levantei minha mão, levando-a até seus cabelos e acariciei devagar, enquanto dava um beijo leve em sua testa.

– Meu sorriso… – sussurrei.

– Hmm… – ela murmurou com a voz quebrada pelo sono.

– Precisamos acordar, meu amor.. – falei no mesmo tom de voz. – Já são nove da manhã.. Charlie pode chegar…

– Eu não quero acordar… – ela falou enrolada, ajeitando-se em meu ombro. – Está tão bom aqui… – ela reclamou mais uma vez. Continue lendo »





Monrovia Town – Capítulo 13

11 08 2011

Bom meninas..como vocês puderam perceber, o nosso site se encontra fora do ar devido alguns problemas internos com nosso host. Mas não é por causa disso que deixamos de postar a fic para vocês!

Boa leitura e comentem!

https://i1.wp.com/oi55.tinypic.com/ztyr60.jpg

 

Capítulo 13 – Hollow Man

PoV Edward

“Os homens são, em geral, tão pessoais que no fundo nada lhes interessa mais que eles próprios.”

(Arthur Schopenhauer)

Meus olhos ardiam enquanto eu olhava para o teto. Não consegui dormir a noite inteira. Óbvio que o motivo foi o que fizemos horas antes de ir para a cama e o que que aconteceria a partir de agora. Estávamos avançando muito rápido, mas ao mesmo tempo era impossível não fazer. Era como se tivéssemos um imã, nos mantendo sempre perto, e assegurando que não devíamos ficar separados.

Bella era pura perdição. E eu sentia o enorme peso da responsabilidade de ter sido o escolhido por ela. Ela confiava em mim, de todas as formas humanamente possíveis e eu não podia estar mais do que nervoso. Afinal, no momento em que ela pegou minha mão e começou a subir por sua perna, eu senti. Eu sabia.

Ela queria perder a virgindade comigo.

Não posso dizer que não fiquei feliz. Eu estava me apaixonando cada dia mais por Bella. Eu desistiria de tudo, e faria tudo para que eu a tivesse para sempre ao meu lado. Mas, eu não sabia nem o que fazer. Eu nunca tinha passado por isso com ninguém. Tanya foi minha primeira e única namorada, e ela não era virgem, então, eu realmente não tinha noção de como fazer isso. Sabia o básico, que ia ser desconfortável, ia doer, e eu tinha que ser o mais gentil possível para não transformar isso em uma péssima experiência. E ela não era qualquer uma. Ela era Bella, a minha Bella, a minha menina dos sorrisos, e eu queria que quando acontecesse, – se acontecesse, – que fosse o sentimento certo. A decisão certa. Sem arrependimentos ou mágoas.

Porque o pior de tudo não era a parte física. Era dentro. Era o que Bella ia sentir, o que seu coração ia aguentar. Não tinha como: Eu ia embora dentro de alguns dias, e não queria ser o filho da puta de fazer isso com ela e desaparecer. Eu nunca me perdoaria se nunca mais nos víssemos e tudo que passamos fosse apenas uma lembrança. Principalmente este tipo de lembrança.

Eu não sabia o que ia acontecer daqui pra frente e não queria que Bella ficasse desamparada. Eu queria que ela fosse comigo, e passei a madrugada inteira pensando em hipóteses. Mas nada me ajudava. E tudo só pioraria o estado em que eu estava. Querendo ou não eu era um fugitivo, e levá-la junto comigo, para esse caminho desconhecido, seria estragar ainda mais sua vida. E declarar minha morte por parte de Charlie. Porque por mais que ele não ligasse pra Bella, acho que me mataria se eu levasse ela embora daqui.

Ficar em Monrovia também não era uma hipótese válida. Mais cedo ou mais tarde apareceriam aqui, atrás de mim, ou alguém descobriria e minha confiança estaria abalada. Continue lendo »





Plus Que Ma Prope Vie – Capítulo 51

15 11 2010

Ilha Deserta

Bella’s POV

 

Eu pertencia oficialmente ao Edward. E isso não poderia ser mais perfeito.

A festa de casamento corria como o esperado e o jardim da cada dos Cullen estava lotado. Amigos da universidade, colegas da advocacia que eu trabalhava e do fórum – onde Edward começou a trabalhar –, compunham os convidados, assim como parentes e amigos de toda a família – vampiros e híbridos. E para minha surpresa, Angela e Ben – os únicos amigos do colegial que chamei – estavam também presentes. Os demais humanos que Alice convidou eram um mistério para mim.

 

Flightless Bird, American Mouth – Iron & Wane

 

_Você está absolutamente deslumbrante essa noite, Sra. Cullen – eu ri, enquanto Edward me rodopiava no salão improvisado.

_Devo dizer o mesmo, senhor – sorri, aconchegando-me em seu peito quente.

Ficamos em silêncio, enquanto dançávamos ao som da mesma música que nos moveu no baile do colegial. Era como um déjà vu. A diferença era que dessa vez eu não me movimentava sobre os pés de Edward… Ele apenas me conduzia.

 

I was a quick wet boy / Eu era um garoto rápido e molhado
Diving too deep for coins /
Mergulhando fundo por moedas
All of your straight blind eyes /
Diretamente nos seus olhos cegos
Wide on my plastic toys… /
Arregalados nos meus brinquedos de plástico…

 

_Está cansada, meu amor? – sussurrou em meu ouvido ao notar um suspiro cansado meu.

_Não muito – escondi meu rosto em seu pescoço, levando minha mão esquerda para sua nuca, sem perder o ritmo da dança – O que você acha de uma saída à francesa?

Ele me encarou, rindo alto – seu sorriso trambiqueiro era um reflexo do meu. Entretanto, nossa bolha de felicidade foi estourada por certa baixinha de cabelos espevitados, que passou suavemente por nós, sussurrando:

_Nem pensem nisso…

Suspirei, fazendo uma falsa expressão de indignação.

_Você é incrivelmente pequena pra ser tão enormemente irritante, Alice – Edward sussurrou, fuzilando a irmã mais nova com os olhos.

Sua risada de sinos soou, ao passo em que ela voltava para a mesa da família.

_Ok – sussurrei, sorrindo e dando um breve selinho em Edward – nesse instante, os flashes das câmeras foram constantes e certeiros – Vamos, então, aproveitar esse momento já que alguém nos impede de sermos realmente felizes.

Meu marido riu, sabendo que falei aquilo propositalmente a fim de que Alice ouvisse.

_Essa música… – Edward sussurrou, após alguns segundos num calmo silêncio entre nós – Sempre que a ouço me lembro de você…

Olhei em seus olhos – grandes e tentadoramente verdes.

_Eu também… Continue lendo »





Inexplicavelmente Amor

13 11 2010

Oi amores..

então.. como eu tinha falado pra vocês, eu só estava postando as fics aqui por causa do probleminha que estava tenho no site..

mas ja está voltando tudo ao normal..

ainda não estou postando as novidades mas a fic IA eu vou postar tudo lá agora.. ok?

e o capítulo 10 ja está lá 😀

Para ler clique aqui e vá na aba ‘fanfic’

beeijos e continuem comentando lá!





Inexplicavelmente Amor – Capítulo 09

11 11 2010

– Vai assumir um namoro sério agora, Edward Cullen?

A voz que perguntou isso era anasalada, melosa, um pouco infantil, e me fazia sentir um arrepio na espinha, Edward afastou-se de mim e encarou a ruiva que estava na nossa frente com raiva.

– Victoria, qual parte do não quero nem pensar em ouvir sua voz você não entendeu? – sua voz transparecia todo o ódio que um ser humano pode sentir.

– Wow, calma Eddiezinho, só fiquei curiosa nunca imaginei você preso a uma só garota, ainda mais… – ela me deu um olhar de cima em baixo como se me avaliasse. – uma totalmente normal.

– Isso não é da sua conta! Ou você esqueceu o que me fez? Continue lendo »





Promoção Meninas Vampiras

11 11 2010

*PROMOÇÃO ENCERRADA*

 

Para ver quem ganhou, clique AQUI

 

Em comemoração ao aniversário de 5 meses do MV, vou sortear um caderno de 10 matérias e capa dura lindíssimo *-*

Para participar basta dizer nos comentários abaixo as seguintes informações: Continue lendo »





Inexplicavelmente Amor – Capítulo 08

11 11 2010

– Vamos nos divertir então!

– Só se for agora! – foi a única resposta que consegui dar a ele, que me agarrava novamente me colocando em seu colo, fazendo minhas pernas circularem sua cintura. Ele levantou da banheira e me levou para a cama que se encontrava no quarto me deitando nela e depositando um beijo ardente em meus lábios, foi até o banheiro buscar algo, quando voltou, começou a me beijar loucamente, como se sua vida dependesse disso, eu segui seu ritmo e o beijava na mesma intensidade. Suas mãos começaram a percorrer o meu corpo, explorando cada parte que conseguia alcançar, as minhas mãos puxavam seus cabelos, arranhava suas costas, estava sentindo já o prazer eminente que estava para começar, mas por algum motivo ele parou subitamente. Foi quando comecei a ouvir batidas frenéticas na porta.

– Bella! – era a voz de Alice que esbravejava, e socando com mais determinação a porta. – Edward, eu sei que você também esta ai! ABRA ESSA PORTA!

– Acho que é melhor atendermos a porta. – eu disse num sussurro a Edward. Continue lendo »